Uefa abre processo disciplinar contra remanescentes da Superliga

Os clubes seguem filiados à liga separatista e podem sofrer graves punições por uma “potencial violação do marco jurídico da Uefa”

Superliga Europeia, uefa, Real Madrid, Barcelona, Juventus
A Uefa anunciou que abriu um processo disciplinar contra Real Madrid, Barcelona e Juventus por causa da tentativa de lançamento da Superliga Europeia – Foto: Denis Balibouse/Reuters

A Uefa anunciou nesta terça-feira (25) que abriu um processo disciplinar contra Real Madrid (Espanha), Barcelona (Espanha) e Juventus (Itália) por causa da tentativa de lançamento da Superliga Europeia. Estes três clubes foram os únicos remanescentes dos 12 inicias que ainda não anunciaram o desligamento da Superliga.

“Após uma investigação conduzida pelo comitê de ética e disciplina da Uefa em conexão com o projeto da chamada Superliga, foi aberto um processo disciplinar contra Real Madrid, Barcelona e Juventus por uma potencial violação do marco jurídico da Uefa”, disse a entidade que comanda o futebol europeu.

A Superliga também contava com a participação de outros grandes times foi lançada como membros fundadores: Manchester United, Liverpool , Manchester City, Chelsea, Tottenham Hotspur, Arsenal, Milan, Inter de Milão e Atlético de Madri. Contudo, no último dia 7, estes nove clubes romperam com a Superliga, chegaram a um acordo com a Uefa e seguiram uma série de recomendações para evitar punições.

Consequências aos remanescentes da Superliga

Barcelona, Juventus e Real Madrid correm o risco ser excluídos de competições organizadas pela Uefa, caso não acabem seus vínculos com a Superliga. Os três gigantes europeus se classificaram para a próxima edição da Champions League.

Florentino Pérez, presidente do Real Madrid e da Superliga, já deixou público que ainda não desistiu do torneio separatista. Andrea Agnelli, principal acionista da Juventus e presidente do clube, foi um dos entusiastas da liga e chegou a anunciar o fim do grupo, entretanto, de acordo com a Uefa, os italianos ainda não abriram mão do projeto. Enquanto a nova diretoria do Barcelona prometeu submeter sua participação na Superliga à votação com os sócios.

O presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, já deixou sua indignação contra o projeto da Superliga pública e pretende punir os responsáveis pela ideia. Vale ressaltar que qualquer decisão do Comitê Disciplinar da Uefa está sujeita a recursos no Tribunal Arbitral do Esporte. Aguardemos as cenas dos próximos capítulos desta novela.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?