fbpx

Instituto Besc visita fábricas do setor de transporte no Rio Grande do Sul

A comitiva, formada pela presidente do instituto e conselheiros, visitou a Agrale, Marcopolo e Randon com o objetivo de conhecer os processos de produção das companhias

Uma comitiva do Instituto Besc de Humanidades e Economia visitou, na última quinta-feira (19/08), três importantes fábricas do setor de transporte em Caxias do Sul-RS, a Agrale, Marcopolo e Randon. O grupo, formado pela presidente do instituto, Jussara Ribeiro, e membros do conselho, esteve na cidade para a realização da 34ª. edição da ASPEN – Assembleia Permanente pela Eficiência Nacional, que aconteceu na última sexta-feira (20/08).

Visita técnica na Agrale. Foto: divulgação

Em visita às empresas, a presidente do instituto destacou a importância da realização dessa ASPEN com temas de interesse da logística e infraestrutura do Rio Grande do Sul. Jussara Ribeiro destacou também os eventos PAINEL e FROTAS & FRETES VERDES, realizados pelo Instituto Besc, que mantêm uma agenda temática nacional acerca de
temas relacionados à infraestrutura, eficiência logística, novas tecnologias e sustentabilidade ambiental.

Durante a visita à empresa Agrale, o grupo conheceu o processo de produção e montagem de alguns veículos da marca, como o caminhão elétrico FNM. A empresa conta com quatro plantas fabris no Brasil, sendo três em Caxias do Sul, onde monta caminhões leves e pesados, tratores, micro-ônibus e chassis, e outra em São Mateus (ES), responsável pela montagem de caminhões médios. Na Argentina mantém uma unidade na cidade de Mercedes, onde produz chassis para ônibus, caminhões e tratores, além de uma divisão administrativa em Buenos Aires.

Na Marcopolo, empresa multinacional brasileira fabricante de carrocerias de ônibus, com sede em Caxias do Sul, a comitiva conheceu de perto seu sistema produtivo bem como seu portfólio de produtos e equipamentos, incluindo o ônibus elétrico, o veículo leve sobre trilhos (VLT) e o novo ônibus Double Deck geração 8. Por serem produtos específicos, a produção segue o método produtivo Just in Time, que fabrica os itens apenas sob encomenda, sem a necessidade de estocagem final de produtos acabados.

Todos destacaram a importância de ter no Brasil uma empresa reconhecida internacionalmente pela qualidade dos seus produtos.

Responsável por quase metade da produção nacional, a Marcopolo é a maior encarroçadora da América Latina e terceira maior do mundo. Possui 10 fábricas espalhadas em todo mundo e seus ônibus estão presentes em mais de 100 países. Conta com fábricas nos continentes americano, africano e asiático.

A comitiva também realizou uma visita técnica à fábrica da Randon, onde aprendeu um pouco mais sobre os modernos processos produtivos da linha de produtos da empresa, como a carreta com tração elétrica. A empresa investe maciçamente em tecnologia e se preocupa com a geração de empregos com qualificação profissional. A aquisição de outras empresas possibilita à Randon grande verticalização de sua produção, o que reduz o nível de dependência de fornecedores externos. Durante o encontro, Jussara Ribeiro, presidente do Instituto Besc, destacou a importância de discutir temas ligados à logística e infraestrutura do Rio Grande do Sul, como será feito no 34º ASPEN.

As empresas Randon são um conglomerado de nove companhias, com sede em Caxias do Sul, do setor de soluções para o transporte. O grupo reúne fabricantes de autopeças,
implementos rodoviários e veículos, além de uma empresa de consórcios. Elas são divididas em três segmentos: montadoras (implementos, vagões e veículos especiais), autopeças (fabricantes de lonas, pastilhas, sistemas de freio, eixo, suspensão, conjunto de articulação e acoplamento) e serviços financeiros (administração de consórcios e suporte às vendas).

Por fim, a comitiva esteve na Universidade de Caxias do Sul, onde teve a oportunidade de conhecer três programas de grande importância para o desenvolvimento científico e tecnológico do estado e do país.

O primeiro deles é o UCSGRAPHENE, primeira e maior planta de produção de grafeno em escala industrial da América Latina instalada por uma universidade. Está em operação desde março de 2020 e reúne o conhecimento adquirido em 15 anos de pesquisas em nano materiais, o que permite gerar grafeno de alta qualidade para a prestação de serviços tecnológicos inovadores. A origem e a inserção no universo acadêmico são diferenciais do UCSGRAPHENE, assegurados por uma equipe multidisciplinar do Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação – TecnoUCS e também por acordos de cooperação com universidades nacionais e internacionais para a realização de pesquisas, projetos, serviços tecnológicos e capacitação técnico-científica.

O segundo programa é o MobiCaxias, formado por diversos setores da sociedade que discute e propõe soluções para uma Caxias 2040. O movimento iniciou em 2014, na época com a participação de trinta e três organizações, tendo como objetivo identificar e elencar um conjunto de ações que poderiam ampliar o desenvolvimento econômicosocial de Caxias do Sul.

E o terceiro programa é o TecnoUCS (Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação), que tem como objetivo fundamental promover a conexão entre os atores do desenvolvimento, levando para o mundo empresarial, poder público e sociedade, o conhecimento produzido na Universidade, em forma de Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), transferência de tecnologia, prestação de serviços tecnológicos e desenvolvimento de negócios inovadores de base tecnológica. O TecnoUCS opera com desenvolvimento e gestão de conhecimento, fazendo a conexão entre o “mundo da ciência e tecnologia” e o “mundo empresarial”. Não tem, portanto, finalidade de produção de bens, mas de contribuir com a transformação das empresas em prol da inovação e, consequentemente, do aumento da competitividade.

 

Sobre o Instituto Besc

O Instituto Besc de Humanidades e Economia tem por finalidade a promoção do estudo e do conhecimento de todos os núcleos do saber por meio da realização de congressos, seminários, conferências, estudos e pesquisas que possibilitem o debate de ideias e a realização de ações em benefício do desenvolvimento humano e da qualidade de vida sustentável no planeta.

Focado nesses aspectos, o Instituto Besc espera contribuir com a formulação de políticas públicas para o desenvolvimento socioeconômico do Brasil e, ainda, com as políticas de investimento público-privado que se destinam ao crescimento e inserção de todas as regiões brasileiras no universo do conhecimento, do saber e do bem-estar social. Com esses
propósitos, o Instituto Besc reúne, em torno de seus interesses, dirigentes de empresas, especialistas de organizações privadas, públicas e não-governamentais, estudantes e
estudiosos de problemas nacionais e continentais.

 

 

 

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?