Aprendendo Marketing com os erros alheios

Aprendendo Marketing - Consultório do Marketing - Washington Coutinho

Você está aprendendo marketing e quer quebrar menos a cara? Então continue lendo esse artigo e aprenda com o que outras pessoas já erraram.

Esse artigo será um pouquinho polêmico e provavelmente te colocará para pensar um pouquinho, afinal não é nada fácil falar sobre Aprendizados de Marketing obtido por meio de erros…

Irei resguardar nomes e informações pessoais e de empresas como forma de manter o sigilo sobre elas.

O intuito deste artigo é entender sobre minhas ações e de outras pessoas que pude trabalhar em conjunto nos levaram a errar.

E o que faria agora com o aprendizado que adquiri se estivesse naquela situação novamente.

Vamos começar com um GRANDE fracasso do início da minha carreira, neles tiveram vários erros que vão além do marketing.

Lembrando que segundo a Programação NeuroLinguística: “Toda ação possui uma intenção positiva.” Portanto todos erros cometidos foram buscando acertos com o melhor que cada um possuía no momento.

Aprendendo Marketing com dinheiro infinito

Você ao ler dinheiro infinito deve ter pensado: que maravilha conseguir dinheiro infinito para aprender marketing?

Na verdade não era bem Dinheiro Infinito, mas era uma boa cifra até então para a época…

Acho que um “Case ao contrário” poderíamos chamar de “FraCase”, então vamos lá entender um pouco sobre esse.

Fui contratado para ser gestor de tráfego e mídias sociais para uma pessoa que estava querendo lançar um curso para estudantes para Concursos.

A estratégia famosa da Fórmula de Lançamento, fazer um bom pré-lançamento, investir algum dinheiro em anúncios e realizar uma semana de abertura de carrinho…

Claro que tudo isso está embasado em uma estratégia de Marketing de Conteúdo, que caso você queira saber mais sobre como esse tema tem crescido bastante já escrevi aqui na Coluna sobre isso: A Ascensão do Marketing de Conteúdo.

Essa pessoa que estava criando o curso tinha uma vasta experiência com concursos e havia sido aprovada em alguns anteriormente.

Produzia um bom conteúdo sobre o que havia levado ela a aprovação e ajudava as pessoas a trilhar esse caminho.

Até aí tudo bem, no entanto ela não possuía nenhuma experiência com Marketing, venda de cursos ou nada do tipo.

E aí que começa a ficar perigoso: Como a princípio a afirmação era: “Eu não tenho muito dinheiro para investir”, logo ela propôs que eu ganhasse uma parte em comissionamento.

Mais uma vez, “até aí tudo bem”, o problema é que essa divisão do risco aí era de cerca de 2%, isso mesmo, se o faturamento fosse de 100 reais, 2 deles era meu.

Claro que não era apenas isso, eu receberia um valor de R$1.000 (se não me falha a memória) que seria parcelado em alguns meses alí

Aí você deve estar pensando: Está “Okay” para uma “primeira consultoria” assim…

Então vamos para os problemas nisso: Se eu concordei com uma remuneração “baixa” a princípio foi por não definir claramente um escopo de atuação e pensar que estava ok.

O lançamento iria durar cerca de 6 meses e fazendo uma conta rápida não dá 200 reais por mês…

Então logo a falta de dinheiro começou a apertar.

O problema nisso tudo é que eu não via dinheiro entrando no bolso e do outro lado fazia a gestão de “bastante dinheiro”.

E onde o Marketing Falhou?

Agora que você já tem o contexto principal e sabe algumas coisas que contribuíram para o problema desse “FraCase”, vamos aos próximos pontos.

Eu realizava mensalmente um investimento de cerca de R$2.000 a R$3.000 (que a época era uma boa grana para anúncios), tudo isso ia em grande parte para Facebook Ads.

Que havia sido a rede principal traçada de acordo com o levantamento de persona, era certo que o “concurseiro” estava al.

E então com essas cifras começamos a alavancar as postagens… Era fácil obter um engajamento de 4 mil pessoas nos posts e levar esse tráfego para o site.

As visualizações dos posts tanto pelo site quanto no Facebook estava funcionando muito bem.

Mas era MUITO conteúdo e nada de indicação para venda.

Além disso apesar de ter alguns fãs que acompanhava todos os posts, poucos deles acompanhavam sempre.

E aí estruturamos bem um e-mail marketing para rodar automatizado bonitinho e começamos a alimentar uma lista com os conteúdos.

Eis que surge a crença do: Achei a veia certa pro crescimento:

Com isso, se descobrimos o público a rede social e o modelo que engajava era só fazer isso e pronto.

Queria aumentar o engajamento? Aumenta o valor investido que permanece a mesma taxa de engajamento…

E aí começamos a olhar as tais métricas de vaidade que já citei em outros artigos…

Acreditávamos que as pessoas que estavam seguindo e curtindo poderiam ser bons leads (potenciais clientes) para o curso.

Então seguimos entregando um bom conteúdo de valor que gerava compartilhamentos, curtidas e comentários agradecidos.

Mas não aqueciam para uma possível oferta futura.

E aí que está um grande aprendizado: Prepare sua audiência para a oferta!!

Isso fica pior quando pensamos que eu não era o responsável por gerar o conteúdo ou o discurso de venda.

Não estava no escopo.

E aí a coisa começava a ficar feia, depois de meses em que sentia o escopo engordar mais e mais, incluindo gestão do Site…

…Resolver problema de invasão de hacker em pleno sábado a noite com compromisso marcado…

…Ter dedicação maior do que o acordado inicialmente e a lista segue.

A esse momento depois de já ter recebido o que era fixo eu percebi que algo estava errado do lado financeiro.

Eu me doava bastante e sentia “merecer mais”, então fui buscar negociar para ver se conseguia receber mais algum dinheiro fixo ou um aumento no comissionamento.

Mas até então ela já estava investindo uma boa grana no projeto e também não tinha retorno dele, então viu como uma ameaça a recuperar seu investimento.

Logo como não tivemos acordo permaneci ajudando da forma que havia me comprometido.

E então chegou o lançamento, 4 vídeos com qualidade profissional e muita preparação, mas faltava UMA COISA!

O que muda tudo para quem está aprendendo marketing?

Essa coisa se chama: Copywriting, ou para os mais íntimos, A Copy.

Traduzindo de forma simplificada é a escrita com foco em persuasão e vendas, utilizada para criar scripts de venda, seja para páginas de vendas, roteiro de vídeos, e-mails e muito mais.

Neste lançamento eu não estava responsável por isso, assim como ainda não possuía muito aprendizado com esse tema.

Então não analisei o texto da página de vendas, ou dos vídeos de vendas como deveria ter sido feito.

Portanto ao lançar, trazer um grande número de pessoas para a página e ver o resultado algo não se encaixava.

Apesar do engajamento anterior, do alto número de pessoas, não surgia vendas.

O Discurso de vendas tinha sido criado como se fosse mais um conteúdo e não como um vídeo focado em converter a audiência em compradores.

Com isso, as vendas não vieram, muitos chegaram até o lançamento, acompanharam, foram nutridos pelos conteúdos, mas não foram convencidos a comprar.

Portanto isso me levou a uma mudança grande na minha forma de ver o Marketing como o todo.

Aprendizados Finais

Para você que está aí aprendendo marketing com os erros alheios é fácil, estar na pele de quem gastou tempo e dinheiro e não acertou que é complicado.

É aquela história: De fora é mais fácil ver os erros.

Então o que eu mudaria em tudo que aconteceu?

Primeiro como profissional de marketing, estabelecer em contrato quais as atribuições é fundamental para que não fuja do escopo de trabalho que foi definido no início.

Com o resultado final e você pode ver ao final, pense no discurso de vendas mais do que em qualquer outra coisa.

Não adianta trazer milhares de pessoas para sua página se você não sabe vender para elas.

Outra coisa fundamental em todo esse processo: Tenha métricas reais, não foque em métricas de vaidade, como: likes, comentários, visualizações.

Estabeleça um funil de vendas claro e entenda na prática o que faz cada cliente passar de um estágio do funil para o outro.

Estude muito Copywriting, mais vale ter 100 pessoas de audiência e você ter uma taxa de conversão de 10% do que ter 1.000 pessoas como audiência e você converter apenas: 1%.

Afinal para expandir a sua audiência dos 100 para 1000 você tem várias estratégias possíveis.

Enquanto para aumentar a sua conversão você vai precisar ou atrair mais público qualificado ou fazer um discurso de venda melhor.

Então se você está iniciando a sua carreira na área do marketing a minha dica é: estude muito sobre copywriting.

Eu fiz isso após esse aprendizado e realmente fez muita diferença.

E se você está buscando melhorar o marketing da sua empresa tenho outra dica:

Analise o seu discurso e veja para quem você está vendendo, quais as necessidades dessa pessoa, o que no seu discurso fala sobre isso…

Quais são os benefícios que a pessoa está buscando no seu produto/serviço e como você os apresenta.

No mais em caso de qualquer dúvida ou se quiser saber mais a respeito disso me chama nas redes sociais:

Siga o autor no Instagram @washingtondcoutinho   e se conecte no LinkedIn @washingtoncoutinho.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?