Teletrabalho foi adotado por 46% das empresas durante a pandemia

home office

50% das empresas disseram que a experiência com o teletrabalho superou as expectativas.

A pandemia de covid-19 acelerou processos que já vinham se desenhando há anos, como o uso intensivo da internet nos negócios, o teletrabalho e o encolhimento dos escritórios. O trabalho em casa foi estratégia adotada por 46% das empresas durante a pandemia, segundo a Pesquisa Gestão de Pessoas na Crise covid-19.

O estudo elaborado pela Fundação Instituto de Administração (FIA) coletou, em abril, dados de 139 pequenas, médias e grandes empresas que atuam em todo o Brasil. O percentual de companhias que adotou o teletrabalho durante a quarentena foi maior no ramo de serviços hospitalares (53%) e na indústria (47%).

Entre as grandes empresas, o índice das que colocaram os funcionários em regime de home office ficou em 55% e em 31%, entre as pequenas.

Um terço do total das empresas (33%) disse que adotou um sistema parcial de trabalho em casa, valendo apenas em alguns dias da semana. No setor de comércio e serviços, 57,5% dos empregados passaram para o teletrabalho, nas pequenas empresas o percentual ficou em 52%.

Serviço Público

No âmbito do Poder Executivo Federal a Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia divulgou que 79.641 servidores públicos federais estão trabalhando em casa, o que representa 49% da força de trabalho.

Os dados são de 22 a 26 de junho e foram baseados na pesquisa semanal do Ministério da Economia, que tem 162.710 servidores ativos.

O balanço não inclui as instituições federais de ensino (universidades, institutos e demais instituições de ensino federal), já que esses dados são divulgados pelo Ministério da Educação (MEC).

Na área da educação existem  276.919 servidores, que tem 94% da força de trabalho da Rede Federal de Educação em trabalho remoto. Ou seja, em todo o Poder Executivo Federal Civil, o número de servidores públicos em trabalho remoto é de 356.560, o que representa 62,5% da força de trabalho.

Após a pandemia

Apesar das dificuldades, 50% das empresas disseram que a experiência com o teletrabalho superou as expectativas e 44% afirmam que o resultado ficou dentro do esperado. No entanto, pouco mais de um terço (36%) disse que não pretende manter o trabalho a distância após o fim da pandemia. Um percentual semelhante (34%) tem a intenção de continuar com o teletrabalho para até 25% do quadro. O restante (29%) quer manter o home office para pelo menos 50% do quadro ou até todos os funcionários.

 

 

*Com informações da Agência Brasil

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?