O que eu aprendi bebendo vinho [Rapport]

Há mais ou menos dois anos, eu comecei a beber e estudar um pouco sobre vinho. Até então, eu não tinha a menor noção sobre uvas, novo mundo/velho mundo, qual a diferença de um verde para um branco e etc.

Hoje eu sei chutar algumas notas, diferenciar algumas uvas pelo sabor, adivinhar se passou por barrica ou não, mas o principal foi que eu aprendi quais são os vinhos que eu gosto.

À medida que eu fui fazendo cursos, conhecendo e comprando vinhos diferentes, aprendi que o melhor vinho é aquele que você gosta e nenhum outro. Ou seja, não existe uva certa, safra certa, vinícola certa ou muito menos um preço certo. O que existe são vinhos feitos de várias uvas, em milhões de vinícolas e em inúmeras safras. E, entre tantas possibilidades, existem aqueles que agradam mais o seu paladar.

O ponto é que, somente depois de provar e aprender a nomear pelo menos algumas características dos vinhos, você consegue – sem errar – decidir por um que te agrade.

Na vida também é assim: temos um universo de possibilidades. Podemos nos especializar em tantas áreas, empreender, fazer concurso público ou trabalhar em diferentes empresas. Podemos casar, casar mais de uma vez, ou nunca casar. Podemos mudar de cidade, de estado ou até de país. Podemos priorizar a vida pessoal, econômica ou profissional. E quem sabe o que é o “certo”?

São muitas opções e ainda mais combinações. A verdade é que não existe regra e nem receita. O que funcionou uma vez, pode não funcionar novamente e o que funcionou para outros, pode não funcionar para você. O importante é saber o que priorizar de acordo com o que você gosta. Ou seja, qual é a sua combinação de fatores para um “bom vinho”.

Portanto, seguem algumas dicas para escolher mais conscientemente:

  1. Experimente por escolha

Esteja aberto, aceite conhecer áreas diferentes e realidades diferentes. Experiências como voluntário ou estagiário, por exemplo, podem ser muito úteis para você experimentar se dedicar a um projeto diferente ou desenvolver uma habilidade nova. Ao vivenciar, você poderá decidir com mais clareza se aquela opção é um caminho possível ou não.

 

  1. Viva o que está acontecendo

Viva o momento com atenção. Pare de focar no que pode ser ou sofrer pelo que poderia ter sido. Aproveite as oportunidades que as situações te presenteiam. Mesmo fases ruins podem abrir portas para coisas novas. As oportunidades também aparecem em momentos de crise. Esteja atento ao que está acontecendo ao seu redor e em sua vida e, assim, saiba tirar o melhor de cada momento.

 

  1. Estude referências de pessoas próximas

Para essa dica, não adianta se basear na vida de pessoas de quem você não conhece a realidade de perto, ok? Apesar de não termos a garantia de que as coisas sairão para nós como saíram para outras pessoas, tampouco podemos experimentar todas as combinações possíveis. E é por isso que, nesses momentos, analisar uma realidade alheia conhecida pode te ajudar a ter uma ideia de fatores que você quer priorizar ou descartar.

Viver é escolher e não temos como escapar. Portanto, o melhor é fazer “boas” escolhas! Mas, que para nós esse adjetivo, como no caso do vinho, esteja baseado em nossa própria percepção e paladar. Lembre-se de que, no final das contas, é você que terá de viver com as conseqüências do que escolher. Por isso, não aceite tomar o vinho que outra pessoa decidiu ser o melhor.

 

 

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?