O que é o Vinho Verde?

Se você já se perguntou o porquê do nome “Vinho Verde”, hoje vou te explicar com detalhes a origem do nome e quais as principais características do vinho lusitano com tanta fama no mundo do vinho.

Logo de início, é muito bom eu já falar para vocês uma coisa, o Vinho Verde não é verde. Aliás, ele pode ser branco, rosado ou até tinto. A origem desse vinho é uma região que fica localizada ao noroeste de Portugal, a charmosa província do Minho.

 

Essa região tem clima muito favorável para a produção de vinhos leves, frescos e com bastantes acidez, aquela sensação de água na boca que temos ao degustar uma taça de vinho.

O terroir da região é extremamente rico e os vinhos se beneficiam principalmente do solo, que em sua grande maioria tem característica granítica, e da influência marítima na região. Pelo alto índice pluviométrico do local, a região conta com uma flora extremamente chamativa e extensa, o que é marca registrada dessa província.

A origem do nome Vinho Verde vem do grande volume de vegetação da região, e também remete às características dos vinhos produzidos ali, frescos, jovens, e bem aromáticos. Por isso a utilização do termo “verde”, fazendo paralelo com “jovem” e “novo”.

Você com certeza não tomou Vinho Verde de outra região ou país e vou te explicar o porquê. O Vinho Verde é uma Denominação de Origem Controlada, ou seja, esse vinho só pode ser produzido e levar esse nome se seguir uma série de regulamentações e a principal delas é a demarcação territorial de onde são produzidos esses vinhos.

A D.O.C Vinho Verde é a maior região demarcada de Portugal e uma das maiores quando se trata de Europa. Sua demarcação oficial aconteceu em setembro de 1908. Existem indícios que os vinhos dessa região foram os primeiros a serem comercializados com o mercado externo europeu, onde eram transportados e distribuídos pelos barcos que levavam bacalhau e produtos.

Um detalhe importante é que pelo extensa área demarcada e os inúmeros microclimas existente dentro da região, a D.O.C Vinho Verde tem uma divisão de nove sub-regiões, sendo elas:

  1. Amarante;
  2. Ave;
  3. Baião;
  4. Basto;
  5. Cávado;
  6. Lima;
  7. Monção e Melgaço;
  8. Paiva;
  9. Sousa.

Dentro da legislação que regulamenta a marcação territorial da região do Minho, também existe as uvas que podem ser utilizadas para a produção do Vinho Verde. Quase que em sua totalidade são utilizadas uvas autóctones, ou seja, uvas nativas da própria região.

Entre as uvas mais utilizadas estão a Espadeiro, Rabo de Ovelha, Alvarelhão, Azal Tinto, Alvarinho, Arinto, Avesso, Azal, Loureiro e Trajadura. Então caso tenham a oportunidade de degustar um Vinho Verde, não hesitem. Uma sugestão de rótulo é o 1808 Colheita Verde, ele expressa exatamente o que se espera de um vinho produzido nesta região.

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?