3 coisas que o cachorro mais inteligente do mundo ensina sobre a vida [Rapport]

Como eu comentei em outro texto, eu tenho dois Border Collies. Não sei se você conhece essa raça, mas é o famoso “cachorro mais inteligente do mundo”. Eles são cães pastores, extremamente atentos. Na internet você encontra milhares de vídeos de Border Collies fazendo truques fofinhos, jogando bola, fazendo yoga e atendendo a vários outros comandos.

O engraçado é que, apesar de ser um cachorro “de raça” e relativamente caro, é muito comum ver pessoas doando Border Collies. Isso acontece porque, nessa história de ser o “cachorro mais inteligente do mundo”, muita gente compra o bichinho esperando que ele já venha “pronto”, educado. E, assim, se decepcionam rapidamente ao descobrir que – pasme – eles precisam ser ensinados e treinados. O fato de serem cachorros extremamente inteligentes não significa que não é necessário esforço, paciência e dedicação para aproveitar todo o potencial que esses animais possuem.

E na nossa vida, quantas vezes nós esperamos que certas coisas dêem certo “automaticamente”, sem que nos esforcemos para obter aquele resultado? Parece óbvia a necessidade de sairmos da nossa inércia quando pensamos em passos profissionais, por exemplo. Mas e quando falamos sobre quebrar um padrão de comportamento nosso que repetidamente traz resultados negativos, será que também temos essa clareza?

Mudar é difícil. Se conhecer e se analisar com verdade é difícil. Admitir que alguns traços, as vezes tão inerentes a quem somos, precisam ser abandonados em prol de nos tornarmos pessoas melhores exige coragem e humildade. Mudar exige esforço, paciência e dedicação. Mas – pasme – você não vai ser melhor a cada dia naturalmente.

Assim como um Border Collie, você tem muito potencial, mas precisa exercitá-lo. Portanto, seguem 3 dicas para sair da inércia e conseguir identificar e melhorar aspectos nossos:

1) Escute quem te ama

Não podemos viver nos adaptando para caber nos padrões de outra pessoa, mas muitas vezes aqueles que nos amam e se preocupam conosco fazem críticas construtivas sobre nós e como podemos melhorar. Escute. Pense sobre o que essas pessoas te dizem. Tenha pensamento crítico, mas considere o que está sendo dito. Pessoas que te conhecem e querem o seu bem podem ser bons indicadores de arestas suas que você pode abaular.

2) Preste atenção naquilo que você não gosta nos outros

Existe uma frase célebre que diz “Incomodou, doeu? Leva para casa que é seu”. Muitas vezes, projetamos nos outros características nossas e aquilo que nos irrita nos outros são, na verdade, características que nós mesmos possuímos. O que rejeitamos em nós, também rejeitaremos no outro. Ou seja, quando você sentir que existe algo que te incomoda muito, olhe para dentro e veja se você mesmo não possui aquela característica de alguma forma. Relacionamentos são espelhos que nos mostram aspectos nossos que julgamos e não aceitamos em nós mesmos.

3) Coloque metas claras

Converse consigo mesmo, defina metas. Seja claro e objetivo. Tendo em mente os aspectos que quer melhorar, fica mais fácil se vigilar e perceber as oportunidades para fazer diferente. Também é interessante gastar algum tempo pensando nas situações em que costuma agir dessa determinada forma, assim você pode previamente pensar em reações alternativas.

 

O autoconhecimento é um processo contínuo e incessante. Com esforço e interesse, as mudanças positivas acontecerão. Será satisfatório olhar para trás e ver todo o progresso já conquistado. Com certeza as conseqüências desse esforço serão positivas.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?