ONG doa laptops e tablets para estudantes da rede pública de SP

Foto de uma das aulas organizadas pelo Constituição na Escola, o projeto atua em São Paulo e Salvador e engloba mais de 30 mil alunos e mais de 100 escolas. Crédito: Gabriella di Bella

Sem as aulas presenciais e longe da inclusão digital, muitos alunos estão se sentindo prejudicados. Com objetivo de melhorar as condições de estudo, a ONG Constituição na Escola realizará a entrega de 200 laptops e tablets neste sábado (16) em São Paulo

Sensibilizados com a situação dos alunos de baixa renda, o Projeto Constituição na Escola, uma organização não governamental formada por jovens advogados que leva aos alunos conhecimentos de direito e civilidade, se mobilizou para arrecadar equipamentos eletrônicos. A ação é voltada para  reduzir o abismo da inclusão digital enfrentado por muitos estudantes, esta situação os distancia da educação em tempos de coronavírus.

Assim, no próximo sábado (16), a ONG entregará 200 laptops e tablets novos na Escola Estadual Julia Macedo Pantoja, na zona leste da capital paulista. Os equipamentos eletrônicos foram comprados após a mobilização dos voluntários da organização – formada por jovens advogados – nas redes sociais pedindo doações. 

Felipe Neves, fundador do Constituição na Escola. Foto: Everton Almeida Santos.

“Com uma ação de união e solidariedade em um período que enfrentamos um inimigo invisível como o coronavírus, buscamos ajudar quem realmente precisa, facilitando o acesso à educação para os estudantes mais carentes”, explica Felipe Neves, fundador e presidente do Constituição na Escola. 

A campanha visa favorecer os alunos das escolas estaduais que estão se preparando para o Enem, e têm dificuldades de estudar em decorrência da falta de computadores em casa. Segundo a TIC Domicílios, entre a população cuja renda familiar é inferior a um salário mínimo, 78% das pessoas acessam a internet apenas com o celular, dispositivo pouco adequado para a atividade acadêmica.

A entrega favorece estudantes de cerca de 20 instituições públicas de ensino, e será dividida por escolas para evitar aglomerações, além de estarem previstos todos os cuidados sanitários recomendados. 

Adiar o Enem?

As inscrições para o Enem já estão abertas e irão até o dia 22 de maio. As provas estão previstas para o início de novembro deste ano.

No entanto, a União Nacional dos Estudantes (Une) e a (Ubes) estão se mobilizando em defesa do adiamento do exame nacional, uma vez que muitos alunos estão sem condições de estudo. 

Nesta sexta-feira (15), as entidades convocam professores, alunos e a sociedade em geral para o movimento #AdiaEnem, um abaixo-assinado virtual foi criado: http://adiaenem.com.br/.  

O presidente da Une,  Iago Montalvão, destaca que “o Enem é o principal meio para o acesso ao ensino superior.. Defender  que a prova aconteça em um momento em que todos os estudantes possam se preparar adequadamente é defender meio para diminuir a desigualdade social no país.”

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?