fbpx

MOAI dá dicas para empreendedores fortalecerem negócios durante a pandemia

moai

Thiago Marques, membro da MOAI, aconselha apostar em conexões para fortalecer negócios durante a pandemia

Desde a chegada da Covid-19 ao país, diferentes tipos de negócios buscaram novas formas para manter as suas atividades. Apesar do fechamento de 1,044 milhão de empresas, o Brasil registrou a abertura de 3,359 novos empreendimentos. Os dados, divulgados pelo Ministério da Economia no início deste ano, destacam o crescimento empresarial em território nacional.

Entretanto, manter o funcionamento de um negócio pode ser extremamente complicado, afinal, uma empresa exige do empreendedor o conhecimento de várias áreas, marketing, vendas, jurídico, contabilidade…

Para auxiliar os empreendedores que buscam o crescimento durante esse período de crise sanitária e econômica, Thiago Marques, membro da MOAI e sócio da Adde Valorem, apresenta cinco dicas de ouro para aplicar dentro do mercado. Confira:

  1. Fomente as melhores conexões possíveis. “Jogar sozinho é difícil, mas com parceiros estratégicos se torna mais fácil”, aconselha;
  2. Tenha de cor aquelas estratégias que estão dando certo – ou que funcionaram no passado. Elas podem ser úteis em um futuro cenário parecido;
  3. Controle as receitas e despesas do seu negócio. Segundo Thiago, é mais simples traçar um plano de ação quando se sabe a situação atual em que um empreendimento se encontra;
  4. Valorize os seus colaboradores. “Eles são um dos melhores insumos para buscar crescimentos em momentos de crise”, destaca o profissional;
  5. Não desista de tentar novas iniciativas! Ainda que o mercado pareça complicado, existem diversos espaços e oportunidades para serem exploradas.

Pandemia x Empreendedorismo

O coronavírus trouxe prejuízos inimagináveis para diversos setores. Entretanto, é possível contornar a situação. Para isso, torna-se necessário apostar na criatividade e inovação.

Com o “novo normal”, o país se encontra em um processo de adaptação. Prezando, cada vez mais, pela saúde dos funcionários e clientes, as empresas se tornaram cruciais para que seja viável movimentar a economia sem gerar mais desempregos e fechamentos de empresas.

“A forma de consumo de produtos e serviços mudou drasticamente. Isso fez com que aqueles empresários que tardaram a adaptar ou inovar os seus negócios, sofressem ao ponto de não conseguirem manter as suas empresas. A inovação tem que correr no sangue do empresário. Fazer mais e melhor que o concorrente não atende à necessidade atual que temos. É preciso pensar no diferente primeiro”, destaca Thiago.

O empresário, parceiro da MOAI, considera o brasileiro extremamente criativo, entretanto, tão cabeça dura quanto. Isso porque, normalmente, os profissionais tendem a se apegar ao que é construído e, por essa razão, perdem o “timing” de quando é necessário intervir para mudar a direção de um negócio.

“Isso não é fácil. Mas não quer dizer que temos que jogar tudo para o alto e desistir. Entretanto, vale destacar que ficar em um barco que está afundando não é uma decisão racional. Em momentos de crise, como o que estamos enfrentando, é preciso focar no que é palpável”, explica.

Thiago também destaca que muitos negócios fecharam as portas por não terem uma gestão financeira eficiente e pela falta de um relacionamento bancário eficaz. Problemas relacionados com obrigações fiscais e trabalhistas se mostram, igualmente, impactantes para o sucesso de uma empresa.

“O mercado está difícil por si só. É preciso arrumar as coisas – em seus mínimos detalhes – para poder ar um passo adiante”, aconselha.

Pós-pandemia

Marques acredita que, apesar dos acúmulos de perdas durante a pandemia, novas portas foram abertas para muitos negócios. Barreiras regionais, por exemplo, se tornaram menos impactantes para um empreendimento.

Na prática, se tornou mais fácil realizar parcerias com empresas de cidades diferentes. Um empresário de Brasília, por exemplo, conseguiu ter mais acesso aos profissionais que residem em outros estados.

“Além disso, muitos segmentos se tornaram mais eficientes, entregando mais com os mesmos recursos e criando um espaço significativo para crescimento”, conta.

Empresários unidos

Além de ser sócio da Adde Valorem, Thiago Marques se tornou membro da MOAI, empresa brasiliense que apoia e conecta empreendedores. Fazer parte desse ecossistema, ajuda os empreendedores a ter contato com outros profissionais para buscar o crescimento da própria empresa.

A troca de experiências é fundamental para que os empreendedores entendam melhor o mercado, além de identificar novos projetos e negócios. “O networking é uma grande ferramenta nos dias de hoje. Com a MOAI, temos a possibilidade de gerar conexões reais para trazer o crescimento da nossa empresa”, destaca.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?