Plataforma de e-commerce registra mais de R$ 650 milhões em 2021

e-commerce
Foto: PickawoodUnsplash

O valor alcançado em plataforma de e-commerce neste ano já supera 2020

Antes da pandemia do coronavírus, o comércio digital já se mostrava uma tendência com números em alta. A partir do ano passado, com a necessidade de adoção de medidas restritivas, e a mudança de hábito do consumidor, o e-commerce do país registra recorde de vendas.

Nos quatro primeiros meses do ano, dentro da plataforma Nuvemshop, que oferece soluções de e-commerce, pequenas e médias empresas já movimentaram mais de R$ 650 milhões. O valor representa o triplo do faturamento registrado em 2020, um aumento de 213%. Quanto ao número de pedidos, houve um salto considerável, de 953 mil para 3 milhões no mesmo período.

e-commerce
Alejandro Vázquez da Nuvemshop. Foto: divulgação

“Já prevíamos um salto no e-commerce antes mesmo da pandemia, que acelerou a transformação digital do varejo e aumentou a participação das lojas virtuais de 5% para 10%”, comenta Alejandro Vázquez, CCO o co-fundador da Nuvemshop. “Esse movimento vem crescendo cada dia mais. Somente na nossa plataforma, calculamos que cerca de 2 milhões de brasileiros tenham comprado produtos pela internet pela primeira vez durante esses quatro meses”.

Um dos segmentos mais representativos dentro da Nuvemshop e também do e-commerce brasileiro é a Moda. No primeiro quadrimestre do ano, o setor movimentou mais de R$ 189,5 milhões, apresentando um crescimento de 190% em comparação a 2020. E-commerces de Joias foram uma das surpresas do quadrimestre por registrarem um aumento de 264% e faturamento de R$11,3 milhões. O mercado de Artes também seguiu fortalecido na plataforma e cresceu 168%, com faturamento de R$15,1 milhões. Outros destaques foram os segmentos de Acessórios (+146% – R$43,6 milhões) e Comida & Bebida (+144% – R$15,5 milhões).

Depois de março de 2020, as pessoas mudaram as rotinas e precisaram ficar mais tempo em casa. Muitas empresas adotaram o modelo home-office e com isso, um segmento ganhou mais atenção. Casa & Decoração também registrou crescimento de 149% no faturamento, chegando a R$26,3 milhões.

Marina Anjos (foto à esquerda) criou um novo negócio devido a pandemia e experimenta atualmente bons resultados por causa dos novos hábitos. A jovem de 26 anos ficou sem trabalho e decidiu empreender, hoje, ela é dona da Cian Candle , loja de velas aromáticas. E felizmente, graças ao universo virtual, a loja já revende os produtos em marketplaces.

“Há um ano, quando fabriquei as minhas primeiras velas, não poderia imaginar tamanho sucesso. Hoje, temos um faturamento médio de R$80 mil por mês e acredito que esse valor continuará crescendo ainda mais até o final de 2021”, afirma Marina.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?