fbpx

Live: como refugiados empreendedores se reinventaram durante a pandemia?

refugiados
O refugiado sírio Husam Hazimeh, proprietário do Zatar Verde, participará da live expondo sobre os desafios enfrentados – e superados – ao longo da pandemia. Foto: Arquivo pessoal

O encontro virtual será nesta quinta-feira (22), a partir das 17h

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Rede Brasil do Pacto Global promovem nesta quinta-feira (22) a live: Como refugiados empreendedores adotaram ferramentas digitais para superar os desafios trazidos pela pandemia?”. O encontro virtual vai mostrar quais as estratégias implementadas por pessoas refugiadas no Brasil e como elas, enquanto empreendedores, se reinventaram durante a pandemia.

“O empreendedorismo é um meio de autossuficiência pelo qual muitas pessoas refugiadas utilizam para que seus conhecimentos e experiência prévias possam ser a fonte imediata de recursos no país de acolhida. Além de se tornar fonte de renda para as famílias refugiadas que empreendem no país, os negócios de pessoas refugiadas contribuem para fortalecer a cadeia produtiva, como fornecedores, tornam a economia mais dinâmica, arrecadam impostos e têm o potencial de gerar novos postos de trabalho”, afirma Federico Martinez, vice Representante do ACNUR Brasil.

O evento digital contribuirá para divulgar os empreendimentos de 80 pessoas refugiadas que integram a plataforma Refugiados Empreendedores, criada em fevereiro deste ano para promover os negócios destes empreendedores em suas respectivas cidades de atuação. São 80 negócios de refugiados já listados na plataforma, agrupados em sete tipos de negócio (como artes, gastronomia, moda, entre outros), presentes em quase 20 cidades de 12 estados e composto por refugiados de 12 nacionalidades.

A partir das 17h, a live será transmitida pelo  Facebook e pelo Youtube do ACNUR Brasil e também pelo YouTube do Pacto Global.

Desafios durante a pandemia

A pandemia da Covid-19 trouxe desafios crescente à economia e fez com que negócios em todo o mundo pensassem em diferentes formas de lidar com uma nova dinâmica de relações comerciais. Nesse sentido, a esfera digital se mostrou uma grande aliada para a continuidade dos negócios e mesmo para ampliar as estratégias de ação de cada modelo.

Alguns exemplos de adaptações já implementadas em parte dos negócios presentes na plataforma Refugiados Empreendedores são a filtragem de pedidos de consumidores via chat robotizado pelo Whatsapp, a ampliação de ofertas de pratos quentes e mesmo frios, o fornecimento de cupons de descontos para compras frequentes, fidelizando clientes, entre outras ações.

 

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?