fbpx

Ministério da Saúde atualiza recomendações da vacinação de gestantes e puérperas

gestantes
Ministro Marcelo Queiroga. Foto: Reprodução/Ministério da Saúde

Gestantes e puéperas poderão ser vacinadas com os imunizantes da Pfizer e da CoronaVac

As gestantes e puérperas voltaram a fazer parte do grupo prioritário para receber a vacina contra a covid-19 e hoje (8), Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, atualizou a recomendação a este público-alvo, que deverá receber apenas imunizantes da Pfizer ou da CoronaVac.

“Os imunizantes que podem ser utilizados em mulheres grávidas são os da Pfizer e da CoronaVac. AstraZeneca e Janssem não”, declarou o ministro, Marcelo Queiroga, esta manhã.

No entanto, grávidas ou puérperas que já tenham recebido a primeira dose da AstraZeneca podem completar o ciclo vacinal com o mesmo imunizante.

“Para as grávidas que tomaram a AstraZeneca, a orientação é a mesma: que após o puerpério seja feita a imunização com a mesma vacina e, com isso, completada a imunização”, disse o ministro, assegurando que, nestes casos, a vigilância sanitária será reforçada de forma a “monitorar a possibilidade de eventos tardios que, embora raros, podem acontecer.”

Em maio, o Ministério da Saúde tinha suspendido a vacinação para grávidas sem comorbidades. A medida aconteceu após a morte de uma mulher que recebeu uma dose do imunizante da Astrazeneca. A pasta, na ocasição, afirmou que acompanharia todas as gestantes que tinham sido vacinadas para verificar as possiveis reações. “Após a análise dos dados e do debate amplo com especialistas, houve o entendimento de se voltar a vacina nas gestantes sem comorbidade”, afirmou Queiroga.

O secretário nacional de Atenção Primária à Saúde, Raphael Câmara, explicou a decisão de reincluir grávidas e puerperas no Plano Nacional de Vacinação. “Temos que pesar o risco benefício. Principalmente com a nova variante, a epidemia da covid-19 afetou as grávidas. Tanto que a letalidade [da doença] entre elas está em torno de 10%, enquanto entre a população geral é menor que 2%. Portanto, ao avaliarmos o custo benefício [de aplicar o imunizante], não há nenhuma discussão: é muito favorável o uso das vacinas nas grávidas de forma geral”

PL aprovado no Senado

Enquanto o Ministério da Saúde voltou a incluir as gestantes e puérpuras no Plano Nacional de Imunização, a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei (2112/2021), que determina a inclusão das grávidas, puérpuras e lactantes com ou sem comorbidades, independentemente de idade, no grupo prioritário para vacinação contra a covid-19. O texto agora segue para sanção presidencial.

O autor da proposta, senador Jean Paul Prates (PT-RN), defendeu que a maternidade é um momento muito delicado, com mudanças complexas em vários aspectos para as mães, sejam sociais, profissionais ou físicas, com preocupações diversas por parte da mãe com seus filhos. “Essa é uma luta conjunta, articulada a partir do movimento #LactantesPelaVacina, do qual tivemos a honra de poder ser o instrumento para viabilização do projeto. Com a aprovação, ganham todas as mães que irão se proteger duplamente contra a pandemia, possibilitando estender a imunização também para as crianças, que ainda não podem receber a vacina. Por isso, é essencial que possamos avançar na celeridade dessa proposta”, explicou o senador.

*Com informações da Agência Brasil

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?