fbpx

Indústrias brasileiras de laticínios alertam previsão de colapso

Em nota, as mais importantes entidades ligadas às indústrias de laticínios do Brasil avisam sobre crise grave

alerta
Imagem de pasja1000 por Pixabay

De acordo com Nilson Muniz, diretor executivo da ABLV ( Associação Brasileira da Indústria de Lácteos Longa Vida ), a brusca redução do auxílio emergencial somada à grave crise econômica causada pela pandemia de covid 19 e a alta do preço do leite causada pelo aumento dos insumos de produção como a soja e o milho geraram uma combinação explosiva para as indústrias de laticínios.

Muniz explicou que a cadeia produtiva do leite é muito sensível, não há grandes estoques e grandes armazenamentos.

Desde janeiro o consumo caiu, enquanto isso, o preço do leite comprado dos produtores também subiu muito, pois os custos de produção  também aumentaram. Do outro lado, com a queda nas vendas  o varejo pressiona a indústria no preço do leite .

” O preço de venda da indústria para o varejo não cobre o preço leite no campo mais todos os outros insumos e custos, relativo ao produto acabado. Quando a indústria vende um litro  de leite UHT  ao comércio por R$3,30  entre R$ 2,20 e R$ 2,30 é só a matéria prima. Quando se soma todos os  demais custos e insumos da produção, as indústrias vêm recebendo um prejuízo de R$ 0,20 a R$ 0,30 por litro de leite vendido. Hoje, não há nenhum segmento da indústria de laticínios que tenha margem positiva.” Relata Muniz

Ainda de acordo com Muniz, este é o pior momento dos últimos 6 anos, pois não há compensação. Desde janeiro até o final de julho, não houve lucro para as indústrias. E por se tratar de uma crise muito conjuntural, ou seja não tem uma causa única,  as entidades ligadas à indústria se uniram e pedem  ajuda dos produtores de leite, do setor  varejista e do governo.

“Nós precisamos mesmo é que haja nesse momento uma redução da pressão sobre a indústria”.  O diretor ressaltou que toda a cadeia do leite é importante e cada parte precisa da outra.

 “Este alerta é para que as indústrias não fechem as portas. Queremos que o produtor tenha o escoamento do trabalho dele e que receba o preço justo, que a indústria tenha sua margem de lucro, que é pequena pois ganha no grande volume e que o comércio varejista também faça o papel dele pois se um destes elos colapsar os outros tb quebram. É importante ressaltar que  não há indústria sem produtor e vice versa, se não tem um varejo muito organizado com margem justa a produção também não é escoada, e o varejo também precisa dos produtores e das indústrias para abastecer as prateleiras.”

Como pode ser constatado na nota, a indústria de laticínios brasileira pede ajuda aos seus pares: produtores, varejo e governo. Confira o alerta na íntegra:

alerta

* conteúdo desenvolvido em parceria com o www.terraviva.com.br

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?