Fiocruz: vacinas começam a ser produzidas na sexta-feira

fiocruz
Foto: Tânia Rego/Agência Brasil


Fiocruz deve começar a produção no dia 10 de fevereiro e no próximo mês, as doses devem ser incorporadas ao Programa Nacional de Imunizações

As vacinas Oxford/Astrazeneca/Fiocruz contra a covid-19 começam a ser produzidas na próxima sexta-feira (12). O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz) começou hoje (10) o processo de descongelamento do ingrediente farmacêutico ativo (IFA).

Após chegar ao país no último sábado, o IFA passou por um processo de controle de qualidade. A carga com 88 litros de insumo foi transportada a uma temperatura de -55 graus Celsius (ºC). A partir do IFA, a Fiocruz espera produzir 2,8 milhões de doses da vacina desenvolvida pelos parceiros da fundação, a Universidade de Oxford e o laboratório Astrazeneca.

Entendendo o processo

Depois de descongelado, o IFA será diluído e misturado a estabilizadores, que garantem que o insumo mantenha ação ao ser distribuído pelo país. Na próxima fase acontece o envasamento das doses, que são lacradas. Então, um equipamento é usado para verificar cada frasco e identificar danos ou rachaduras. Após esse processo, as vacinas recebem os rótulos com a identificação do lote e data de validade.

O primeiro lote produzido pela Fiocruz no país ainda deve passar por mais um rígido controle de qualidade ao fim do processo. A fundação espera que no dia 18 de fevereiro as doses sejam liberadas para a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que deverá dar o aval para o uso emergencial dos imunizantes.

Assim, as 2,8 milhões de doses da Fiocruz devem ser encaminhadas ao Ministério da Saúde até 19 de março.

Chegada do novo lote do IFA para o Butantan. Foto: Governo do Estado de São Paulo.

Instituto Butantan

Nesta quarta-feira (10) desembarcou em São Paulo mais um lote do IFA da vacina do Butantan. A carga com 5,6 mil do ingrediente farmacêutico permitirá a produção de 8,7 milhões de doses na fábrica do Butantan.

O governador João Doria comemorou a chegada da carga. “Hoje no Brasil, praticamente de cada 10 pessoas vacinadas, 9 estão recebendo a vacina do Butantan. Com mais este lote, vamos permitir mais vacinação. Vacinando mais pessoas de idade, aquelas pessoas que ficam mais expostas ao vírus da COVID-19. Com muita alegria poderemos atender as outras faixas etárias, de pessoas com menos de 80 anos, mas que com mais de 60 anos fazem parte dos grupos mais vulneráveis. Em todo Brasil chegará a vacina da vida”, disse.

Na semana passada (4), o Butantan recebeu 5,4 litros de IFA para a produção de 8,6 milhões de doses, estas serão entregues no fim de fevereiro. Uma nova remessa já foi solicitada a Sinovac.

Até agora, o Butantan já entregou 9,8 milhões de vacinas ao Ministério da Saúde e o primeiro acordo entre as partes prevê a entrega de 46 milhões de vacinas até o fim de abril. Existe um outro acordo de compra que ainda não foi definido.

Segundo o diretor do Butantan, Dimas Covas, “com o lote que chegou na semana passada, começamos domingo a produção. 600 mil vacinas estão sendo produzidas por dia e agora não paramos mais até completar as 46 milhões, o que deve acontecer até abril”.

O instituto ainda negocia com a Sinovac o envio de e 20 milhões de doses extras para garantir a vacinação de toda a população adulta do estado de São Paulo.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?