Estudo reforça que mosquitos não transmitem Covid-19

mosquitos
Mosquito tigre-asiático. Imagem de WikiImages por Pixabay

Uma pesquisa, nos Estados Unidos, aponta que mosquitos são incapazes de replicar e transmitir o novo coronavírus.

O novo coronavírus tem gerado inúmeras discussões, principalmente a respeito de sua forma de contágio. Por ser um vírus novo a ciência ainda não tem respostas conclusivas, mas um estudo da Universidade do Estado do Kansas, nos Estados Unidos, aponta que mosquitos são incapazes de replicar e transmitir o novo coronavírus.

Embora a Organização Mundial da Saúde (OMS) já tenha declarado que os mosquitos não podem transmitir o vírus, a pesquisa publicada nesta sexta-feira (17) na revista científica Nature, é o primeiro a gerar evidências cientificas de que os insetos não são um vetor de disseminação da Covid-19.

Os cientistas americanos inocularam o coronavírus, cultivados em laboratório, em três espécies mosquitos: Culex quinquefasciatus, tigre-asiático e aedes aegypti. Popularmente conhecido no Brasil como o mosquito da dengue, mas que também transmite os vírus da zika e chikungunya.

Ao todo 277 insetos foram inoculados, com o vírus da Covid-19, os pesquisadores então dividiram as amostras grupos, para avaliar a incidência da infecção após diferentes períodos. Eles identificaram que após duas horas da inoculação do coronavírus, 13 de 15 mosquitos analisados ainda estavam contaminados. Mas o vírus não foi encontrado em nenhum dos mosquitos estudados após 2 dias da infecção.

“Com base na falta de vírus infeccioso detectável 24h após a inoculação em qualquer uma das 277 amostras coletadas, concluímos que o SARS-CoV-2 [o novo coronavírus] é incapaz de se replicar em mosquitos e mesmo que um mosquito se alimente de uma pessoa com vírus no sangue, que o mosquito não seria um vetor da Covid-19″, diz o estudo.

Qual a explicação?

O coronavírus se instala no pulmão dos pacientes e é disseminado, principalmente, por gotículas produzidas ao falar, espirrar ou tossir, que saem do sistema respiratório humano, mesmo se o mosquito sugasse um pouco do vírus no sangue de pessoas infectadas, a carga viral no sangue humano é baixa.

Ainda que um mosquito pegasse uma “alta dose” de coronavírus no sangue, também, não há evidências de que o ele conseguirá transmitir a doença para a sua próxima vítima.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?