fbpx

Um passeio delícia no Cadeg

O Mercado Municipal do Rio de Janeiro completa 60 anos, com lugar garantido no coração dos cariocas. Mais conhecido como Cadeg – sigla que batizou o então “Centro de Abastecimento do Estado da Guanabara” – o mercado localizado em Benfica é hoje um polo repleto de atrações que, aliadas ao valor histórico do local, o elevam à condição de ponto turístico. Até o final de janeiro, 24 estabelecimentos oferecem pratos para 2 pessoas e produtos diversos a R$ 60. Um jantar com show de Roberto Menescal e Rodrigo Santos está programado para fechar as comemorações (a data será remarcada por conta da pandemia). Estive lá no sábado passado para um passeio delícia, com direito a almoço no Costelão. Saiba o que achei na coluna Contexto Carioca! 😉

Cadeg
Cadeg celebra 60 anos com promoções de pratos para 2 pessoas e diversos produtos a R$ 60, até o final do mês.

Sinceramente, não consegui lembrar da última vez que estive no Cadeg. Mas se fui, faz tempo. Talvez na pré-adolescência, acompanhando minha mãe em alguma compra. De fato, frequentei mais aquelas cercanias somente pelos idos de 1998 a dois mil e pouco, na flor da idade, quando ia dançar forró na Feira de São Cristóvão (ainda fora do pavilhão) e nos bailes do Malagueta… que saudade! Mas o que encontrei na semana passada no Cadeg foi bem diferente das minhas “quase memórias” borradas em preto e branco.

Cadeg
Cadeg tem alas repletas de estabelecimentos com mesas do lado de fora, clima tipicamente carioca.

O lugar é enorme: quando foi construído, era a terceira maior estrutura de concreto do Brasil, atrás apenas do Maracanã e da Avenida Perimetral, já demolida. Patrimônio Oficial Público da cidade, o mercado funciona 24 horas, tem quase 100 mil metros quadrados e abriga mais de 700 empresas. Lá, encontra-se produtos nacionais e importados como bacalhau, cereais, verduras, legumes, frutas e bebidas. Na parte de trás do pavilhão ficam o Mercado das Flores (maior do Rio) e os quiosques de plantas, junto ao estacionamento.

Cadeg
Na parte de trás do pavilhão ficam o Mercado das Flores (maior do Rio) e os quiosques de plantas, junto ao estacionamento.

Se antes o Cadeg funcionava principalmente como entreposto de mercadorias, de uns 10 anos para cá a abertura de bares e restaurantes – como Barsa, Bora BBQ e Costelão – fizeram do local uma ótima opção de lazer e gastronomia, com alas repletas de estabelecimentos com mesas do lado de fora. Clima tipicamente carioca. A presença de imigrantes portugueses e de outras nacionalidades é notória, sendo o tradicional Cantinho das Concertinas o principal símbolo da cultura lusitana. Tem até show de música tradicional da terrinha!

Cadeg
Costela no Bafo (R$ 165 p/ 2 pessoas), clássico da casa: a melhor que já comi até hoje.

Mas fomos mesmo com o objetivo de conhecer o Costelão, restaurante especializado em carnes e que está no Cadeg desde 2011. A fome era grande e fomos logo para o prato principal. Apesar da promoção do mês de aniversário, quis conhecer o carro-chefe da casa: Costela no Bafo (R$ 165 p/ 2 pessoas). Tínhamos direito a 3 acompanhamentos e escolhemos arroz branco, feijão tropeiro e batata portuguesa. O atendimento foi ótimo e a comida chegou rápido. A quantidade de costela, servida no rechaud, era bastante farta – até levamos para casa. Quando dei a primeira garfada, minha reação foi: “essa é a melhor costela que já comi na vida”!

“Sou descendente de árabes, gosto muito de comer bem. No Costelão, nos preocupamos em servir muito bem. Tenho alegria por contar com esta equipe, que é um de nossos diferenciais. O outro, vem do fato de prepararmos tudo na brasa. Nossa proteina toda é assada na brasa. Acredito que essa combinação compõe o diferencial que inclusive já rendeu prêmios para a casa”, diz Armed Regis, proprietário.

Cadeg
Banana na brasa com sorvete (R$ 23): simples, porém saborosa e dá para dividir.

O Costelão já conquistou o prêmio Água na Boca, do jornal O Globo, na categoria melhor churrascaria da Zona Norte (2019), e hoje está em 18° no ranking TripAdvisor entre mais de 8,5 mil estabelecimentos. Para acompanhar a costela no bafo, pedimos chopinho Brahma gelado (R$ 8). Para hidratar, suco de laranja (R$ 13). Para a sobremesa apostamos na banana na brasa com sorvete (R$ 23): simples, porém saborosa e dá para dividir. Vale a pena visitar o Cadeg e conhecer o Costelão, verifique os horários de funcionamento e boa diversão! 🙂

DICA CARIOCA

Apesar de algumas mudanças por conta da variante Ômicron, o festival Mimo para Crianças (@mimofestival) está agendado para este final de semana, com diversas atrações. Faço questão de divulgar, pois o Mimo já me proporcionou momentos deliciosos, como os shows de Chico César e do Bixiga 70, que assisti na Praça Paris em 2016. Ou os de Criôlo na Marina da Glória, em 2017, e Antônio Guerra no Palácio do Catete (2015). O festival é gratuito e traz sempre atrações de qualidade – um verdadeiro mimo para os cariocas. Este ano, a temática é infantil e os shows ocupam 9 palcos em diferentes pontos da cidade.

festival Mimo
Reprodução Instagram

Meus destaques vão para os shows de Simone Mazzer (sábado, 15/01, às 11h, no Parque das Ruínas) e de Zeca Baleiro, que apresenta o show “Zoró Zureta”, que foi remanejado do Parque de Madureira para a Arena Fernando Torres, no domingo, 16/01, às 17h. O festival segue todas as normas de segurança contra a Covid-19.

:: CLIQUE AQUI E OUÇA A PLAYLIST DA COLUNA DESTA SEMANA! ::

Conheça outras descobertas de Gabriel Versiani pelo Rio de Janeiro em outras edições da coluna Contexto Carioca aqui! Acompanhe o colunista @gabrielversiani.rj também no Instagram!

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?