Restaurante Roma: 61 anos de muito sabor, tradição e modernidade

Restaurante Roma e sua cascata
A tradicional Cascata do Roma. Ambiente instagramável muito antes do instagram. Foto: divulgação

Está certo que já se tornou um clichê matérias sobre o restaurante Roma, mas mesmo esse clichê vale cada palavra e escrita aqui no portal.

 

Sejam mais uma vez benvindos ao portal, eu, chef Gregory Cotrim, passarei o meu ponto de vista sobre o mais tradicional restaurante de Brasília. A última parte da homenagem a nossa capital que está em festa essa semana.

Voltando ao final da década de 50, nosso presidente Juscelino Kubitschek decidiu trazer a nova capital do Brasil para o interior do estado de Goiás. Com essa interiorização houve milhares de pessoas vindo para o centro oeste.

Simon do restaurante Roma
Simon Pitel fundou o Roma, o primeiro restaurante de Brasília.

No inicio dos anos 60 uma dessas pessoas foi o belga Simon Pitel, o fundador e atual proprietário do restaurante Roma.

Tradicional e bem familiar o Roma tem como principal mantra “passando de geração para geração”. E isso é bem presente no dia a dia do restaurante. Posso me colocar nessa história, lembro-me ir muito pequeno ao estabelecimento para comer pizza.

As vezes me pergunto, se minhas primeiras aventuras gastronômicas não tem um dedinho do Roma.

A tradição é tamanha que só na minha família, minha mãe levou meu irmão ainda criança, meu irmão levou seus filhos quando crianças e eu fui levado pela minha mãe quando criança e levo minha filha, que por coincidência foi recém nascida ao Roma, sua primeira ida a um restaurante. Se engana quem acha que isso é algo exclusivo da minha família. Inúmeras são essas histórias do tradicional Roma.

 

ESTRUTURA

Foto tirada antes da pandemia. Foto: divulgação

Fundado em 1960, o Roma continua no mesmo lugar desde então. Localizado na quadra 511 sul, tem a avenida W3 Sul como entrada única.

Antigamente havia o salão superior, salão de fumantes (atualmente não se usa essa denominação devido a legislação anti fumo) e o salão não fumantes.

A algum tempo o salão superior não funciona para o público geral, sendo disponibilizado o salão com ar condicionado e o salão aberto. Nesse último encontramos a tão famosa fonte.

Ela chama atenção principalmente de crianças. Assim é um ponto ideal para se tirar fotos e fazer marcações em redes sociais.

Todos os ambientes são decorados com quadros que rementem a história e gastronomia da Itália. No salão aberto cada parede tem um arco feito em tijolinhos, isso dá a sensação de estarmos na Itália. Já o salão com ar condicionado podemos encontrar um ambiente aconchegante, moderno e com uma música ambiente agradável.

 

ATENDIMENTO

O simpático e competente Sr Emanuel. Foto: divulgação

O que mais me agrada no Roma é o atendimento. Não que os pratos preparados sejam ruins, muito pelo contrário, mas a afeição familiar nos permite se sentir em casa. Quando vou, sou atendido por pelo menos dois garçons e esse são geralmente o seu Emanuel e ou o seu Raimundo. Ambos com longos anos de serventia a nós.

Dois senhores com sorrisos nos rostos, larga experiência e só não nos trata pelo nome devido aos inúmeros clientes que recebem. No entanto, ao puxar uma conversa com eles, é raro não escutar algo do tipo: “Lembro de você pequenino pedindo pizza de calabresa.”

Não sei precisamente quantos funcionários tem atualmente, mas esses que citei, tem mais de 20 anos de casa. Fora alguns funcionários já aposentados e voltaram a trabalhar no Roma após um período.

 

CARDÁPIO

Filé à francesa. Foto divulgação

Muito famoso pelo À Parmegiana (R$ 145,90 para 2 pessoas ou R$79,90 no rodízio individual) , o Roma se destaca em sua grande variedade de pratos. De pizza, carnes, peixes, saladas e frango o cardápio é bem democrático.

Mesmo com o estilo e nome remetentes a Itália, houve uma mistura de técnicas da culinária contemporânea francesa, brasileira e italiana. Mas dessa vez vamos falar de dois pratos fantásticos e que remetem muito a infância de quem assina essa coluna.

Primeiro a tão amada pizza (média a partir de R$ 44,90 e grande a partir de R$ 49,90). Prato convencional nas casas de todos os brasilienses a pizza do Roma é relativamente simples. Com uma carta de 27 sabores de pizzas entre doces e salgadas, quem acredita que irá encontrar uma pizza tradicionalmente italiana se engana.

Apesar de não ser com as características tipicamente da Itália, é uma pizza deliciosa. Com receita própria, uma massa intermediaria e com cobertura equilibrada, quem pede não se arrepende.

As técnicas aplicadas no preparo da pizza deixa ela com um toque típico da região de Roma (massa mediana, com bordas chapadas e cobertura bem equilibrada) apesar não ser assada em forno a lenha ou iglu. Vale cada mordida nessa maravilha servida.

Segundo prato que aconselho, é o Filé À Francesa (R$ 143,90 para 2 pessoas). Um delicioso e harmonioso prato bem servido de Filé Mignon e com o acompanhamento de uma mistura de cebola refogada, com presunto ralado, orégano e ervilhas no vapor. Serve até duas pessoas e é um prato bem harmonioso.

Escrever sobre o Roma não é uma tarefa difícil, realmente seria fácil fácil escrever um livro sobre ele. A minha dificuldade aqui foi escrever sem me emocionar, sem me recordar de cada momento e principalmente lembrando do sabor dessa maravilha.

Parabenizo mais uma vez Brasília, pelos seus 61 anos sem duvidas meu amor por você irá perdurar para sempre. Parabenizo também ao seu Simon, pois uma semana antes da inauguração oficial de Brasília, ele inaugurou nosso querido e amado Roma.

SERVIÇO:

Restaurante Roma

Endereço: 511 Sul, Bloco B, Loja 61.

Telefone: (61) 3346-3434.

Diariamente, das 12h às 15h e das 18h30 às 22h30.

 

Siga o autor no Instagram: @gregorycotrim

Acompanhe outras dicas do Gregory na coluna Paladar Bsb

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?