fbpx

O primeiro flexitariano do Rio: Allma Restaurante

Você sabe o que é “flexitarianismo”? Esse estilo de alimentação é baseado principalmente nos vegetais, porém é mais flexível e permite o consumo ocasional de proteína animal. O conceito surgiu nos Estados Unidos na década de 90 e vem ganhando cada vez mais adeptos por aqui. Uma das provas foi a chegada do Allma Restaurante, primeiro flexitariano do Rio, inaugurado há pouco mais de 6 meses em Ipanema. O empreendimento já é um sucesso: acaba de receber o prêmio Rio Gastronomia de melhor restaurante com opções vegetarianas. Fui conferir a novidade no último sábado, saiba o que achei na coluna Contexto Carioca! 😉

Allma Restaurante
O Allma Restaurante fica em Ipanema, na esquina da Joana Angélica com Nascimento Silva.

A questão da alimentação focada na carne bovina, adotada pela maioria das pessoas, tem me causado preocupação. Ainda mais porque, nas últimas décadas, o Brasil se tornou uma espécie de “pasto do mundo”, com todas as consequências para o meio ambiente. Abdicar completamente da proteína de origem animal, por sua vez, me soa radical demais. Por isso, fiquei tão interessado quando ouvi o termo “flexitarianismo”. Ainda não conhecia o conceito até encontrar o Allma nas redes.

Allma Restaurante
Tartar de beterraba (R$ 38): beterrabas assadas, picadas e temperadas com mostarda dijon e picles de caju da casa.

O restaurante fica em uma casa charmosa na esquina da Joana Angélica com a Nascimento Silva. Na varanda, pode-se curtir um clima mais despojado. No salão interno o cliente encontra ambiente climatizado, com boa música lounge e a opção de sentar no sofá acolchoado. Desde o início do mês, o Allma abre também para o jantar (exceto aos domingos), e nos finais de semana tem bruch a partir das 9h. Em breve, a casa terá ainda um happy hour de segunda a sexta.

“Nosso objetivo é despertar, propor e educar novos hábitos alimentares onde o equilíbrio é a alma do negócio, cada um agindo de acordo com a sua própria consciência alimentar. A dieta flexitariana fala muito mais sobre estilo de vida do que uma dieta propriamente dita. Temos uma oferta inclusiva em nosso cardápio com opções para veganos, vegetarianos e para os apreciadores de proteínas branca. Frequentam nosso restaurante pessoas de todos as idades numa clara demonstração da inclusão mencionada acima”, Christiano Londres, sócio.

Allma Restaurante
Atum com arroz negro (R$ 79): atum semi-grelhado com arroz negro, tartar de manga, coalhada de wasabi e azeite verde.

O cardápio é elaborado pelos chefs Diego Gimenez e Lidiane Barbosa, incluindo saladas, bowls, wraps, sanduíches, pratos individuais e sobremesas. Tudo é feito com ingredientes frescos – comprados principalmente de pequenos produtores da região – com desperdício zero. Para abrir os trabalhos, pedimos o Tartar de beterraba (R$ 38): beterrabas assadas, picadas e temperadas com mostarda dijon e picles de caju da casa. O biju com gergelim (ver foto) é feito de beterraba, clara de ovos, farinha integral e fibra de maçã. Confesso que não esperava muito, mas a surpresa foi enorme com o sabor intenso e maravilhoso!

Allma Restaurante
“Cajuína Allma” (R$ 38): gin Amazzoni, caju, tangerina e gotas de tabasco.

Para o principal, fiz fazer o direito “flex” e pedi o Atum com arroz negro (R$ 79): atum semi-grelhado com arroz negro, tartar de manga, coalhada de wasabi e azeite verde. Se a entrada causou boa impressão, o atum me transformou em fã do Allma. O ponto do atum, a textura, o sabor ácido do tartar de manga e a surpreendente coalhada de wasabi me deram a certeza de que se trata de uma gastronomia de altíssimo padrão.

Allma Restaurante
Pudim de leite de castanhas (R$ 29): pudim cremoso feito com leite condensado de castanhas da casa.

Para beber, escolhi o autoral Cajuína Allma (R$ 38): gin Amazzoni, caju, tangerina e gotas de tabasco. Nem preciso dizer que o último ingrediente foi a isca, né (rsrsrs)? Valeu a pena: saboroso, refrescante e com um toque sexy da pimenta. Mas o grand finale foi o pudim de leite de castanhas (R$ 29): pudim cremoso feito com leite condensado de castanhas da casa. Meu comentário: “dá vontade de comer um balde disso!”. 🙂

DICA CARIOCA

Começa hoje, às 19h, a primeira edição do FIMA – Festival Interativo de Música e Arquitetura (@festival.fima), que acontece até 21 de dezembro e traz apresentações de música clássica em lugares históricos do Rio. Os shows são presenciais com transmissão ao vivo pelo canal do YouTube do festival, com direito a câmera 360°. Artistas como Marília Vargas, Guilherme de Camargo, Bruno Procópio e Eliane Coelho se apresentam em pontos icônicos da arquitetura carioca: Real Gabinete Português de Leitura, Sítio Burle Marx, Parque Lage, entre outros. As apresentações incluem ainda palestras com arquitetos renomados, relacionando o programa das apresentações ao contexto histórico das construções. Imperdível!

CLIQUE AQUI E OUÇA A PLAYLIST DA COLUNA DESTA SEMANA!

Conheça outras descobertas de Gabriel Versiani pelo Rio de Janeiro em outras edições da coluna Contexto Carioca aqui!

Acompanhe o colunista @gabrielversiani.rj também no Instagram!

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?
%d blogueiros gostam disto: