Projeto de lei prioriza vacinação contra Covid-19 de profissionais do transporte coletivo

 

Transporte Coletivo
Créditos: Rovena Rosa/Agência Brasil

Classe profissional é a segunda mais exposta ao risco de contaminação pela Covid-19

No objetivo de proporcionar segurança para uma das classes profissionais mais expostas à contaminação da covid-19, o Projeto de Lei (PL – 5462/20) que tramita na Câmara dos Deputados prevê prioridade, na vacinação contra o novo coronavírus, a profissionais do transporte coletivo. A categoria mantém contato com o público diretamente. Caso aprovado, os empregados se somarão a outros grupos definidos como prioritários pelo texto como idosos, indivíduos com doenças crônicas, profissionais da saúde e agentes de segurança pública.

O autor do projeto, deputado Célio Studart (PC-CE) disse que, por uma série de limitações, a vacinação provavelmente ocorrerá em etapas. Desta forma, torna-se necessário planejar com cuidado o cronograma de imunização para beneficiar pessoas com imunidade comprometida, como é o caso de motoristas e cobradores do transporte público.

“O objetivo é priorizar grupos de risco e categorias profissionais essenciais que ficam expostas e, consequentemente, com maiores chances de contágio”, afirma.

Riscos da exposição

Aproximadamente, 400 mil trabalhadores do transporte coletivo saem de casa diariamente para garantir o funcionamento do serviço. Uma pesquisa da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), avaliou que pessoas que trabalham no transporte coletivo possuem 71% de chance de serem contaminadas. Motoristas e cobradores perdem somente para médicos e enfermeiros que atuam na linha de frente da doença.

*Com informações da Agência Câmara

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?