Os principais pontos para te ajudar na criação do seu Aplicativo [Dados Descomplicados]

O surgimento do coronavírus e do isolamento social tem afetado todas as relações de trabalho. Muita gente se adaptando ao novo momento, entrando de vez na era digital e junto dessa onda milhares de ideias saindo do papel.

Os Apps estão liderando o brainstorming de ideias que essa era “em casa” está trazendo, vários empreendimentos buscando estreitar seus contatos com clientes através deles. Antes de tirar do papel, é muito importante que algumas considerações sejam feitas.

 

Experiência de usuário e de interface são muito relevantes!

Por mais que a ideia seja boa, não podemos nunca deixar de pensar em quem vai usar. Uma vez diagnosticado o perfil do cliente é possível adaptar à sua realidade e até a linguagem para que ele se sinta mais à vontade com a experiência ofertada.

Aplicativos que exigem atividades complexas de seus usuários tendem ao desuso.

Para quem não valoriza tanto essa etapa vai um case muito legal. Sempre escutamos que a terceira idade não se aventura em site, aplicativos e nem celular. Pensando nisso algumas empresas começaram a adaptar suas experiências para esse público. Mudam desde linguagem, imagens até o tamanho da fonte para facilitar a leitura, legal né? Tudo pensado nos mínimos detalhes.

De todos os aplicativos que já vi para esse público o um dos mais interessantes foi o EuVô. Ele é parecido com o app da Uber, mas também possibilita o serviço de acompanhante diário para ajudar em tarefas. Interessantíssimo como foi pensado para a rotina do idoso.

 

Pensar em etapas

É importante saber que um aplicativo geralmente vai automatizar algum processo, seja ele de compra, venda ou até de informação. Muitos empreendedores têm seus processos bem estabelecidos para o mundo real, mas que, no mundo digital, ficariam impossíveis, pois faltariam informações.

Um ótimo exemplo é de um escritório de arquitetura aqui de Brasília que queria desenvolver um APP para estreitar as relações de cliente e arquiteto. A ideia era ter uma plataforma robusta que possibilitasse troca de arquivos, análise do perfil de cliente e envio de uma proposta inicial.

O engraçado é que por mais que todas as etapas de seus processos fossem extremamente bem definidas, caso o processo fosse replicado igual no APP, faltariam perguntas e etapas para saber informações do cômodo que o cliente queria intervir. Existe uma troca gigantesca de informações no contato presencial que se perde ao se estruturar de forma online, isso precisa ser levado em consideração!

 

Timing e estudo de mercado nunca devem ser deixados de lado

Com certeza existe uma corrida acontecendo para ganhar mercado nessa pandemia. Todo mundo se adaptando. O que é necessário se levado em consideração é que um aplicativo demora no mínimo de 6 a 8 meses para ser desenvolvido, isso para um prazo que o cliente já está estruturado e já tem uma ideia consolidada.

Agora imagine uma empresa sem processos maduros e que demore mais ou menos 1 ano para lançar algo. O prazo provavelmente é inviável (assim espero!) caso ela deseje aproveitar o período que as pessoas estão em casa.

Estudo de mercado também é importantíssimo, está diretamente ligado ao timing. Imagine que você quer lançar um aplicativo de aluguel de apartamentos. Agora imagine também que estamos no meio de uma crise imobiliária, esse aplicativo terminaria sendo apenas um gasto e não teria qualquer tipo de retorno de investimento.

Outra boa análise para o mesmo aplicativo hipotético de aluguel de imóveis é saber quem seriam seus concorrentes em Apps que já fazem essa ideia. Se sua ideia não tiver uma abordagem extremamente inovadora ou oferecer qualquer tipo de produto que ninguém imobiliário que ninguém ainda tenha, você não terá chance nenhuma em um mercado dominado por Airbnb, quinto andar, etc.

 

Esses são os três principais pontos que falamos com nossos clientes em nossas consultorias iniciais para viabilizar ideias. Lembre-se deles que provavelmente seu aplicativo estará rodando de forma correta para o cliente certo. Não perca tempo!

Siga o colunista no Insta: @leoargolo_

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?