Internos de casas de acolhimento terão consultas virtuais

Pelo menos 250 voluntários da área de saúde irão “consultar” e orientar idosos, mulheres e crianças – boa parte em regime de internação – de cinco instituições do DF.

Projeto-piloto de teleatendimento desenvolvido entre o GDF e a entidade social Glória terá 250 profissionais de saúde em consultas virtuais com idosos, crianças e mulheres em situação de vulnerabilidade e medidas socioeducativas do DF.

Criado por médicos voluntários, o Rede Convida, lançado na última quarta-feira (20), no Palácio do Buriti, é mais uma iniciativa do governo contra o coronavírus. O objetivo da parceria – que conta com o apoio das secretarias de Juventude, Projetos Especiais e Casa Civil – é evitar a corrida de pacientes a hospitais e postos de saúde. Os primeiros atendimentos serão realizados na próxima semana.

A plataforma digital conecta o profissional da saúde a pessoas localizadas em instituições de acolhimento, especialmente em regime de internação. “Estamos treinando um servidor dentro de cada instituição que irá fazer a intermediação entre essas casas de acolhimento e a nossa plataforma”, explica Cristina Castro, coordenadora do Projeto Rede Convida.

“Trata-se do sonho de levar a medicina onde ela é difícil de chegar, com profissionais de saúde doando algo tão precioso para eles, como o seu tempo”, agradeceu Natália Polidorio, uma das idealizadoras do Rede Convida.

De acordo com o secretário de Juventude, Léo Bijos, o investimento financeiro por parte do GDF foi nulo. “Decidimos por uma ação institucional, para a gente ter um arco com diversas secretarias. Já tem dado certo. Custou zero para o DF. Precisamos apenas de uma doação pessoal minha, de webcams, e dos computadores que já tínhamos no GDF, além da c

Vice-governador do DF, Paco Britto. Foto: Renato Alves/Agência Brasília

ooperação dos médicos”, afirmou o secretário.

Segundo o vice-governador do DF, Paco Britto (Avante), a iniciativa visa reduzir a busca por atendimento no sistema público de saúde e os riscos de infecções por covid-19. “O atendimento é online. A plataforma digital conecta o profissional aos pacientes, promovendo maior segurança a essas pessoas. Evita a corridas às UPA’s e UBS’s, diminuindo a aglomeração e o risco de contaminação pelo coronavírus”, disse.

Voluntariado

O banco de dados da Rede Convida já conta com 250 voluntários inscritos. São profissionais e estudantes de medicina, psicologia, enfermagem, fisioterapia, comunicação, logística, gestão e suporte de Tecnologia da Informação. A Rede Convida conta ainda com o apoio da Universidade de Brasília (UnB), Projeto The Medical Explorer (Instagram) e Projeto Ciranda Sertaneja (Instagram) e aceita novas adesões.

 

*Com informações da Secretaria de Juventude

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?