Copom reduz Selic para 3,75% ao ano para conter impacto de pandemia

O Banco Central reduziu a taxa em 0,5 ponto percentual atingindo o menor patamar histórico.

 

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central reduziu, na quarta-feira (18), a taxa básica de juros (Selic) de 4,25% para 3,75% ao ano. A decisão foi unânime entre os diretores da autoridade monetária, chefiada pelo ministro Roberto Campos Neto, atual presidente do Banco Central.

No final de fevereiro, o Banco Central brasileiro sinalizou que não faria novos cortes durante o ano, mas o cenário mudou com a pandemia de coronavírus e com a decisão do Federal Reserve (FED) – Banco Central norte-americano – em cortar profundamente os juros nas últimas duas semanas.

Com este novo corte da Selic a taxa está no menor patamar desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015. Em outubro de 2016, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia até que a taxa chegasse a 6,5% ao ano em março de 2018, só voltando a ser reduzida em julho de 2019.

O BC não deixou claro, mas é provável que um novo corte nos juros aconteça ainda este semestre, posto que seja difícil prever até onde vai à desaceleração da economia provocada pelo avanço do coronavírus.

Crédito mais barato

A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic). A redução da taxa Selic estimula a economia porque juros menores barateiam o crédito e incentivam a produção e o consumo em um cenário de baixa atividade econômica.

A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). E também serve de referência para as demais taxas de juros da economia.

No entanto, com as taxas de juro cada vez mais baixas, os investidores precisam de um empenho maior para encontrar investimentos com melhores rentabilidades. Já que investimentos de renda fixa como poupança, fundos DI e títulos do Tesouro Selic rendem menos.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?