ButanVac: a vacina brasileira contra a covid-19

butanvac
ButanVac, a vacina 100% brasileira contra a covid-19. Foto: Governo do Estado de São Paulo

A ButanVac será a primeira vacina 100% brasileira contra a covid-19. Início dos testes pode acontecer já em abril

Uma boa notícia para começar o dia. Nesta sexta-feira (26), o governador de São Paulo, João Doria, confirmou que o Instituto Butantan está desenvolvendo uma vacina brasileira contra a covid-19. A ButanVac aguarda autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o início dos ensaios clínicos das fases 1 e 2, que podem acontecer já em abril.

Segundo o Butantan, a vacina será integralmente produzida por aqui e sem a necessidade da importação do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), que vem sendo um entrave para a produção dos imunizantes no país. 

A vacina já passou pela primeira fase de testes realizada com animais e, de acordo com o instituto, se mostrou bastante promissora. A próxima etapa será a realização dos estudos clínicos em humanos. A produção-piloto do composto já foi concluída para a aplicação em voluntários.

Produção da nova Vacina

O Instituto Butantan utilizará tecnologia própria da fábrica de vacinas contra a gripe para produzir a ButanVac. As cepas deverão ser cultivadas em ovos de galinha, que gera doses de vacinas inativadas e o imunizante será feito com fragmentos de vírus mortos.

Ricardo Palacios, diretor médico de pesquisa clínica do Instituto Butantan, aposta no sucesso da nova vacina e disse que:  “temos tecnologia para isso, e sabemos também que vacinas inativadas são eficazes contra a Covid-19”.

O instituto é o parceiro da Sinovac no país, laboratório responsável pela CoronaVac, e, de acordo com Dimas Covas, diretor do Butantan, o desenvolvimento do novo imunizante é uma forma de aproveitar o conhecimento adquirido. A parceria continua e o cronograma de entrega dos insumos para a produção de novas vacinas está mantido.

Covas ainda aproveitou para destacar a importância de ampliar a produção de vacinas no país. “ Em razão do panorama global, abrimos o leque de opções para oferecer aos governos mais uma forma de contribuir no controle da pandemia no país e no mundo”, disse.

Confiante, o diretor do Butantan acredita que a ButanVac poderá ser entregue ainda neste ano. “Após o final da produção da vacina contra Influenza, em maio, poderemos iniciar imediatamente a produção da Butanvac. Atualmente, nossa fábrica envasa a Influenza e a CoronaVac. Estamos em pleno vapor”, afirma Dimas Covas.

Tecnologia da Vacina

A ButanVac utilizará um vetor viral com a proteína Spike do coronavírus de forma íntegra. O vetor será o vírus da Doença de Newcastle, que afeta aves e não causa sintomas em humanos. Assim, o vírus se desenvolve em ovos embrionados e a produção seguirá o processo já conhecido por ser utilizado na vacina da gripe. 
A vacina será de vírus inativado, o que facilita a estabilidade e confere maior segurança para o imunizante. 

Soro do Butantan

Na quarta-feira (24), a Anvisa autorizou o Butantan a realizar pesquisas em humanos com o soro hiperimune anti-Sars-CoV-2. A autorização da agência ainda depende da entrega de informações complementares para o início dos estudos.

De acordo com a Anvisa, como será a primeira vez que o soro será testado em humanos, a agência realizou uma avaliação criteriosa dos aspectos técnicos e de segurança do produto.

O Butantan acredita que o soro tem um potencial para evitar o agravamento de sintomas e curar os pacientes com covid-19. 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?