O novo habitar

Tune Arquitetura explica como a pandemia poderá refletir nos novos projetos de habitações residenciais

A atual crise a qual estamos passando nos fez refletir sobre muitas questões e é discussão inevitável para diversas áreas. Profissionais estão sendo obrigados, devido a demanda emergencial, a repensar e a reinventar seus ofícios. Com a arquitetura não será diferente, seremos afetados em nossos espaços públicos, comerciais e residenciais.

Arquitetos já estão especulando e até projetando com base nas orientações da OMS | Organização Mundial da Saúde, a respeito de medidas que podem ser implementadas em seus projetos para auxiliar os clientes a minimizar o risco de contagio em suas residências.

Exemplo disso, é que o IAB/RJ (departamento do Rio de Janeiro do Instituto dos Arquitetos do Brasil) promoveu uma mesa redonda virtual junto com profissionais da Associação Brasileira para o desenvolvimento do Edifício Hospitalar (ABDEH) para debaterem e elaboraram algumas dicas para ambientes domésticos, de saúde e outros. Iremos listar algumas destinadas ao novo pensar a respeito de nossas casas:

 

# Ventilação Natural:

A ventilação natural sempre foi uma questão muito importante ao se projetar uma residência, mas agora, mais do que nunca, ela deve ser muito bem planejada de modo a garantir esta condição a todos os cômodos da casa. Ela auxilia a renovação do ar, permitindo um ambiente mais confortável e arejado, sinônimos de um ambiente saudável! E segundo especialistas, este é um grande aliado para se evitar a propagação do vírus. Além de ser um elemento natural e gratuito, evitando o uso de sistemas artificiais de ventilação, que podem disseminar diversos micro organismos

 

Projeto:Tune Arquitetura Foto:Julia Totoli

.

# Equipamentos de fácil acionamento:

O uso de torneiras com alças já é algo inevitável em clínicas e hospitais. De modo que existe uma linha de metais desenvolvida especialmente para esta necessidade, mas é algo que talvez transpasse o uso apenas à estes ambientes e se torne cada vez mais comum nas nossas casas. Outra questão a se repensar são as maçanetas que possibilitem à abertura com cotovelo, segue o mesmo princípio das torneiras com alças longas, são utilizadas sem a necessidade do uso das mãos. Talvez as maçanetas redondas estejam com seus dias contados.

# Mobiliário no hall de entrada:

Esta talvez seja a mais fácil de ser posta em prática de imediato. Com o intuito de evitar trazer a “sujeira” da rua para dentro de casa, um espaço na entrada destinado a ser essa área de “descontaminação” pode ser montado com a locação de um móvel de apoio. Este móvel pode ser uma prateleira para o vidro de álcool gel, uma sapateira ou um cabideiro para guardar os itens que ainda serão higienizados.

Foto:Pinterest

# Utilização de materiais de fácil limpeza:

Essa questão é importante ressaltar, pois isso irá impactar desde a escolha de materiais para o piso, parede, bancadas quanto a escolha de mobiliário. A tendência é que as pessoas comecem a se interessar mais por propostas minimalistas influenciadas pela questão da praticidade e manutenção da higiene diária.

#Entrada de luz natural:

Projeto: Tune Arquitetura Foto: Julia Totoli

A luz natural é tão importante quanto a ventilação. Estudos mostram que 90% da vitamina D que produzimos é proveniente do sol os outros 10% pelos alimentos. A vitamina D é responsável auxilia a absorção do cálcio pelos ossos evitando assim a osteoporose e ajuda a dar tonicidade muscular, muito importante aos idosos!

Hoje se abrirmos as redes sociais podemos observar que existem diversas pessoas, principalmente as que se encontram em apartamentos, se esgueirando em pequenos feixes de luz do sol que muitas vezes mal se estendem para dentro dos ambientes.

Para isso o pensar nos espaços coletivos dos edifícios deve ser uma questão mais abraçada pelas incorporadoras e arquitetos. Os moradores quando não possuírem o posicionamento de seus apartamentos de modo que permita a entrada de luz natural, devem ter a possibilidade de desfrutar de tal, de modo seguro, em uma área em seu condomínio. Claramente que quando levantamos este assunto, vale observar que a indicação de exposição ao sol é de 15 a 20 minutos com proteção!

Estamos passando por uma fase de transição e mudanças. É certo que não passaremos por tudo isso e voltaremos com os mesmos olhos de antes. Estamos sendo obrigados a nos reinventar, a redescobrir, a reconstruir e a repensar. Não é só no habitar que estamos pensando, é nas relações que estão sendo criadas, mais empatia, mais solidariedade. A sociedade está mudando e de uma maneira muito acelerada. Não tem como saber o que o futuro nos promete, mas porque não esperarmos o melhor dele?

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?