De olho na transparência, Saúde lança painel para divulgar distribuição de seringas e agulhas

painel
Foto: Nailana Thiely/ Ascom Uepa/Fotos Públicas

O painel está disponível na plataforma LocalizaSUS

Após sabatina no Senado Federal com Eduardo Pazuello, o Ministério da Saúde anunciou novas intenções de compra da vacina contra a covid-19 e na última sexta-feira (19) lançou mais uma novidade: o painel de distribuição de agulhas e seringas aos estados e municípios.

As informações estão disponíveis na plataforma LocalizaSUS. Até então, a pasta já distribuiu 18 milhões de seringas e agulhas, sendo 9,4 milhões de seringas e 8,5 milhões de agulhas. De acordo com a pasta, o cronograma de entrega foi elaborado de acordo com a capacidade de produção e dos estoques dos estados.

O Ministério da Saúde destaca que tem centralizado a aquisição de insumos, Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e ventiladores pulmonares, como apoio estratégico aos estados durante a pandemia.

Números das Vacinas contra a covid-19

Na plataforma LocalizaSUS também é possível consultar o status da distribuição de vacinas para a Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19. 

Até agora, o Ministério da Saúde já distribuiu 11.802.316 milhões de doses para as Secretarias Estaduais de Saúde. Destas, 9.802.316 milhões são do Instituto Butantan e 2 milhões da Astrazeneca/Fiocruz.

Com relação a doses aplicadas, o país já vacinou 5.703.270 milhões de pessoas, sendo 4.755.676 milhões de pessoas da primeira dose e 947.594 mil pessoas da segunda dose. 

O estado de São Paulo lidera o ranking com 2.769.278 milhões de doses recebidas. E em números absolutos, o estado também é o que mais aplicou as doses, já foram 1.988.601 milhão de pessoas. 

De acordo com os dados do Vacinômetro, atualizado nesta segunda-feira (22), do governo de São Paulo, já foram 2.062.808 doses aplicadas, sendo 1.659.502 da primeira dose e 403.306 da segunda dose. 

Mudança de Estratégia e novos contratos

Na última semana, o ministro Pazuello anunciou uma mudança de estratégia na campanha de vacinação: não será necessário reservar a segunda dose para garantir a imunização. A pasta acredita que o país terá a quantidade necessária para não parar o programa de vacinação.

O Ministério da Saúde aguarda o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária para viabilizar a compra das vacinas Precisa/Bharat Biotech, a covaxin, e União Química/Instituto Gamaleya, a Sputnik V.

A previsão de entrega das vacinas seria esta:

União Química (vacina Sputnik V/Instituto Gamaleya/RUS)
Março: 400 mil (importadas da Rússia)
Abril: 2 milhões (importadas da Rússia)
Maio: 7,6 milhões (importadas da Rússia)
Total: 10 milhões de doses

Precisa Medicamentos (vacina Covaxin/Barat Biotech/IND)
Março: 8 milhões (importadas da Índia)
Abril: 8 milhões (importadas da Índia)
Maio: 4 milhões (importadas da Índia)
Total: 20 milhões de doses

Mais dois contratos poderão ser assinados, mas a pasta aguarda a orientação do Planalto para comprar as vacinas da Janssen e da Pfizer. A Saúde deverá receber um retorno da Casa Civil ainda nesta semana.

“Queremos salvar vidas e comprar todas as vacinas comprovadamente efetivas contra o coronavírus aprovadas pela Anvisa. Desde abril de 2020, começamos a conversar com a Janssen e um mês depois com a Pfizer, mas as duas empresas fazem exigências que prejudicam interesses do Brasil e cederam pouquíssimo nisso, ao contrário de outros fornecedores”, lamentou o Secretário Executivo da pasta, Elcio Franco.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?