Isolamento social: compre alimentos conforme sua necessidade de estocagem

 

Imagem de Squirrel_photos por Pixabay

Nutricionista orienta quais alimentos têm maior durabilidade para não ir ao mercado com frequência

 

Daniel Novais atende em Brasília-DF

Os casos confirmados do coronavírus segue crescendo no Brasil. Por isso, a recomendação do Ministério da Saúde ainda é de ficar em casa o máximo que puder para diminuir a disseminação da doença.

Um dos motivos para sair do isolamento é para comprar comida. Pensando nisso, o nutricionista Daniel Novais nos passou dicas relacionadas à durabilidade e ao prazo de validade de alguns alimentos.

Produtos industrializados tendem a ter uma durabilidade maior. Segundo o nutricionista é possível encontrar produtos saudáveis entre as opções, basta ler no rótulo as informações.

“A restrição de alimentos nesse momento, mais o isolamento social e a ansiedade não fazem bem”, aconselha o nutricionista.

 

 

Cereais

Arroz do tipo branco, selvagem ou arbório, podem ser guardados e consumidos por tempo indeterminado, pois sua estrutura conserva todo o valor nutricional do grão.

“Por incrível que pareça, neste momento eu recomendo que as pessoas  comprem produtos menos integrais. O integral é mais saudável,pois está relacionado a vida, todavia eles estragam mais rápido.” Argumenta.

O arroz integral pode ficar rançoso, então é preciso obedecer a data de validade impressa na embalagem. É importante armazenar o arroz em um recipiente bem fechado, no qual não penetre ar, para não permitir a entrada de insetos, como carunchos.

Outros cereais como farinha, macarrão e aveia também duram muito tempo.

Grãos

O feijão cru também pode ser conservado por tempo indeterminado. Sua estrutura, assim como o arroz, conserva seu valor nutricional. A diferença é que o grão mais velho pode demorar mais para amolecer e necessitar de um tempo maior no cozimento. O grão deve ser conservado em local seco e sem umidade.

Além do feijão, outros grãos como lentilha e grão de bico são ótimas fontes de proteínas, principalmente para diminuir o consumo de carne.

Laticínios

 

Laticínios também são excelentes fontes de proteína. Se frescos, devem conservados na geladeira, não sendo deixados à mesa após serem servidos.  Assim, o leite de boa qualidade desde a origem, dura até 10 dias na geladeira. “O leite longa vida é excelente para uma estocagem por mais tempo em casa, em lugares frescos e arejados”, destaca.

Novais ressalta que “os iogurtes também devem ser mantidos sob refrigeração.” Se comprar iogurtes de embalagem maior, fechar a garrafa e não deixar na mesa após ser servido, sobretudo o iogurte natural.

Queijos: Os mais maturados, a partir de 22 dias têm maior durabilidade, se mantidos a uma temperatura entre 15 a 20°C, o processo de cura não é interrompido. A mussarela tanto de vaca quanto a de búffala e provolone frescos, que são os queijos de massa mole e semi cozida, tem excelente durabilidade se bem refrigerada.

Já os queijos frescos (minas frescal; ricota e cottage),  a recomendação é que  eles sejam mantidos o maior tempo possível na geladeira, sendo retirados apenas para o consumo imediato.

Se o produto tiver sido produzido com leite de qualidade, e tiver sido bem conservado na geladeira, sua duração é estendida por até 30 dias. “A recomendação é sempre consumir laticínios de origem conhecida”, ressalta o nutricionista.

Raízes

Imagem de 272447 por Pixabay

Mesmo fora da geladeira duram por aproximadamente 10 dias. São elas: batata, cenoura, beterraba, nabo, gengibre, mandioca, inhame.

“Se for guardar na geladeira, sugiro que separe em saquinhos com a quantidade que for consumir por dia para que não aconteça a renovação do oxigênio enquanto abre, isso aumenta consideravelmente a durabilidade.”

 

 

Frutas

Dá para ir ao mercado ou à feira apenas a cada 10 dias! A dica é comprar metade das frutas verdes e metade maduras. “Caso você perceba que as frutas estejam próximas de estragar, uma boa opção é bater no liquidificador e fazer um suco ou uma vitamina ou até mesmo congelar para usar depois”, afirma Daniel.

Para o congelamento, o nutricionista indica que as frutas sejam descartadas, cortadas e depois colocadas em saquinhos em porções suficientes para bater no liquidificador e fazer um suco.

Oleaginosas

Por possuírem nutrientes que melhoram o humor e a disposição, são uma boa opção também. Exemplos: nozes, castanhas, amêndoas, pistache, avelã, dentre outras.

Embutidos

Imagem de FrankGeorg por Pixabay

“Apesar de ter muito sódio, pode ser uma fonte de proteína. Pensando na durabilidade, as peças que já vem fatiadas e embaladas à vácuo duram mais tempo”, destaca.

 

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?