fbpx

Frente da Educação quer ouvir ministro sobre o Enem

Milton Ribeiro, ministro da Educação. Foto: Marcello Casa Jr.l/ Agência Brasil/Fotos Públicas

Parlamentares solicitam audiência com ministro da Educação e também pedem que MEC abre os dados do exame

A Frente Parlamentar Mista da Educação (FPME) encaminhou, nesta sexta-feira (29), um pedido de audiência com o ministro da Educação, Milton Ribeiro. Além disso, foi requisitado que a pasta e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apresentem certas informações sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Os parlamentares querem saber número de candidatos provenientes de escolas públicas no Brasil, discriminado por Estado da Federação, por município, assim como do Distrito Federal e por região administrativa do DF, que não realizaram as provas impressas e o tempo que cada aluno da escola pública ficou sem aula presencial em 2020 em média, em cada uma das capitais brasileiras. No requerimento de informação, a frente ainda pergunta sobre os protocolos sanitários adotados em relação à prevenção de contágio do coronavírus.

Segundo o documento, a FPME aguarda uma resposta do MEC e do Inep para que seja possível entender melhor o cenário da educação no país e com isso, formular ou sugerir políticas públicas mais efetivas de acesso dos candidatos para futuros exames.

“O que estamos buscando são soluções para os estudantes junto ao MEC”, pontuou a professora Dorinha (DEM-TO), presidente da FPME. O Enem teve uma abstenção recorde e também, uma redução no número de inscritos. Uma pesquisa realizada com 2.400 jovens apontou que 80% dos entrevistados queriam o adiamento do Enem.

Blitz do Enem

Os ações da frente são o resultado da “Blitz do Enem”. No segundo dia de aplicação das provas, os parlamentares realizam uma live para conversar com especialistas e os candidatos relataram as falhas encontradas durante o teste. Entre os problemas, os estudantes contaram que encontraram salas lotadas e viram pessoas sem máscara.

 

 

 

 

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?