fbpx

Exageros nas festas de fim de ano: saiba o que fazer

exageros
Foto: Karolina Grabowska/Pexels

As festas de Natal e de Réveillon são garantias do aumento no consumo de comida e bebidas. Especialistas ajudam a contornar os exageros de fim de ano

Fim de ano e uma história que se repete: festas com muita comilança e muita bebida. O período é ideal para ignorar a dieta e meter o pé na jaca, quem nunca, não é mesmo?

Contudo, os exageros podem trazer alguns efeitos nada animadores. Dentro de um curto prazo, a comilança podem trazer desconfortos abdominais, refluxo, queimação, quadros de enxaqueca, prisão de ventre e diarreia. Aumentos no nível de glicose no sangue e da pressão arterial também podem ocorrer, assim como a retenção de líquido. 

“A médio e longo prazo, esses excessos podem estar relacionados a aumento do peso, descompensação do diabetes e da hipertensão, especialmente se o indivíduo mantém, após as festas, um estilo de vida não saudável”, adverte Gabriella Mendes, médica endocrinologista do Hospital Anchieta de Brasília.

O problema é seguir com os exageros. O hábito pode acarretar nas chamadas doenças não transmissíveis, como diabetes e colesterol alto, como complementa a nutricionista Isabela Zago, da Clínica Corporeum, de Brasília. “Se acabaram as festas e continuo me alimentando com uma dieta muito volumosa, rica em açúcar, sódio e gordura saturada, os prejuízos aparecerão mais cedo ou mais tarde”, adverte. 

Recomendações

O Natal já foi, mas ainda dá tempo de colocar em prática uma recomendação para a festa da virada do ano. A endocrinologista aconselha evitar um jejum longo antes da ceia, por exemplo, é uma estratégia para não chegar à refeição com tanta fome. Da mesma forma, é importante respeitar o próprio alerta de satisfação do corpo.

Outra dica da especialista, pode ser colocada em prática durante o ano e em outras comemorações. “Durante a ceia faça um prato saudável, comece pelas saladas, legumes e verduras, escolha um tipo de carne que você mais goste, dê prioridade para aqueles alimentos que são seus preferidos, mas sempre tendo cuidado com a quantidade”, recomenda Gabriella Mendes.

Segundo a profissional, os cuidados do dia seguinte dependerão de questões como sintomas, doenças prévias e uso prévio de medicações contínuas. No caso de manifestações mais intensas em relação a sintomas apresentados em situações anteriores semelhantes, a recomendação é procurar auxílio médico. Já no dia a dia, uma boa alimentação, hidratação e exercícios físicos são essenciais. 

“Brinco que só faz dieta em festa quem não fez durante o tempo todo. No maior período de tempo da nossa vida, devemos estar inseridos nesse contexto saudável”, acrescenta Isabela Zago. “Assim, você terá permissão para confraternizar sem pensar tanto em restrição ou privação de alguns alimentos. O acompanhamento nutricional vem muito à tona nessa época porque as pessoas estão precisando de ajuda no mês seguinte, mas é para a vida.”

 

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?