Empresários da indústria e do comércio estão com mais confiança no Brasil

Mercado Municipal de São Paulo. Foto: Filipe Frazão

Pesquisas realizadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV)  apontam que o índice de confiança da indústria é o maior desde março de 2018, já a confiança do Comércio atinge o maior nível desde fevereiro de 2019

Na última semana, a FGV divulgou o resultado de duas pesquisas muito importantes para se medir o termômetro da economia do país. No Índice de Confiança da Indústria, tivemos alta de 1,5 ponto de dezembro de 2019 para janeiro deste ano. Com o resultado, o indicador chegou a 100,9 pontos, o maior valor desde março de 2018 que marcou 101,4 pontos. Já no ICOM, Índice de Confiança do Comércio, subimos 1,3 ponto em janeiro deste ano e chegamos a 98,1 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos.

O que nos resta saber é se a confiança dos empregadores vai melhorar a vida – e a confiança – do restante da população que dependem de seus empregos

Indústria 

Na indústria a confiança subiu em 13 dos 19 segmentos industriais pesquisados.  A alta em janeiro foi puxada pelas expectativas dos empresários da indústria, medidas pelo Índice de Expectativas, que cresceram 2,8 pontos. O que mais contribuiu para essa alta da expectativa foi a avaliação sobre a evolução do ambiente de negócios nos próximos seis meses.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada do setor subiu 0,6 ponto percentual de dezembro para janeiro e chegou a 75,7%.Para a pesquisadora da FGV , Renata de Mello Franco, o resultado é positivo, embora os empresários ainda estejam cautelosos. Ela avalia que o ânimo dos empresários tende a melhorar ainda no primeiro semestre, porém ressalta que a sustentação dessa confiança depende da evolução da demanda interna.

Comércio

É o maior nível desde fevereiro do ano passado, quando atingiu 99,8 pontos, conforme os dados divulgados nesta segunda-feira (27) pela FGV. Em janeiro, a confiança dos empresários do comércio subiu em 4 dos 6 segmentos pesquisados. O Índice de Expectativas, que mede a confiança em relação ao futuro, e que compõe o ICOM, subiu 3,8 pontos e atingiu 104,4 pontos, maior nível desde março de 2019, quando ficou em 104,7.

Já o Índice de Situação Atual, que mede a confiança dos empresários no momento presente, recuou 1,1 ponto e passou para 91,9 pontos. De acordo com o pesquisador da FGV Rodolpho Tobler, a alta da confiança do empresário do comércio foi influenciada pela melhora das expectativas que voltaram a subir depois de um período de espera dos empresários no final do ano passado.

Sobre o indicador de situação atual que vinha apresentando resultados mais positivos no final de 2019, e que recuou em janeiro, Tobler explicou que essa combinação de resultados mostra que o cenário de recuperação gradual continua ainda dependente de sinais mais fortes do mercado de trabalho e da confiança dos consumidores.

 

*Com informações da Agência Brasil

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?