Empresa desenvolve case antiviral no Brasil

case
Foto: divulgação

De acordo com a empresa, a case inativa 99,9% dos vírus que ficam nos celulares, incluindo a família do coronavírus

Depois do desenvolvimento da máquina de lavar compras, das roupas antivírus e de outras criações, uma empresa lançou para o mercado brasileiro a primeira case (capinha para celular) com ação antiviral no país. O produto aparece como mais um aliado contra a disseminação do novo coronavírus.

A novidade é da Gocase, empresa especializada em capas e acessórios personalizados para celulares, e de acordo com a marca, o produto mostra eficiente no combate de infecções e doenças virais, uma vez que grande parte da contaminação se dá pelas mãos, que encostam no celular e tocam constantemente áreas do rosto como nariz, boca e olho.

“O objetivo da Gocase é inativar alguma carga viral que entre em contato com o celular, capaz de contaminar a mão do usuário durante a utilização do aparelho”, ressalta o cofundador e diretor de produto da Gocase, Bruno Bastos.

Tecnologia Antiviral

Íons de cobre permitem a eliminação de partículas virais em até 15 minutos. A eficácia do produto foi testada e comprovada pelo laboratório Núcleo Vitro, em Porto Alegre, sob a direção de pesquisadora da  Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), seguindo a certificação ISO sobre ação antibacteriana e antiviral em produtos.

A ideia de criar uma ‘capinha’ antivírus veio no ano passado, e começou a busca de aditivos e tecnologias ideais para a fabricação e a verificação da qualidade do produto.

“Para a criação de nossa Gocase Antiviral, incorporamos íons de cobre à própria capinha. A escolha pelo cobre se deu porque, além de ser um agente antiviral, também é um aditivo muito utilizado na área de vestuário. Com isso, criamos mais um componente de proteção aliado ao celular, que é um objeto de uso cotidiano das pessoas”, explica Bruno Bastos.

Pesquisa realizada ano passado pela Bond University da Austrália aponta que celulares hospedam imensa variedade de agentes infecciosos. Pela proximidade de boca, nariz e ouvido, smartphones representam maior possibilidade de contaminação.

“O mesmo aditivo utilizado em máscaras e camisas não funcionaria, pois mudaria a transparência da case. Fizemos mais de 15 testes com diferentes fornecedores do mundo inteiro e o que melhor funcionou para manter essa propriedade é nacional”, explica Bruno Bastos.

Definido o aditivo ideal, todas as etapas da fabricação ficaram a cargo da própria Gocase, desde a seleção da matéria-prima, passando pela injeção do antiviral à base de nanopartículas de cobre, até a pós-produção. A fase seguinte foi a de testes de eficácia.

As capas não tem nenhuma estampa, sendo uma decisão proposital, ocorre para “para manter a ação antiviral”, explica Bastos.

Modelos disponíveis

Os primeiros modelos da Gocase Antiviral foram desenvolvidos com base na experiência de consumo dos usuários das cases da marca, mas a empresa está estudando o lançamento de novos modelos durante os próximos meses. Confira os modelos atualmente disponíveis:

iPhone 6/7/8 | iPhone 6/7/8 Plus | iPhone 11 | iPhone XR | iPhone 12/12 Pro |iPhone 12 Pro Max

Samsung Galaxy M31/M21s/M30s/M21 | Samsung Galaxy S20 FE | Samsung Galaxy S21 | Samsung Galaxy S21 Ultra

Xiaomi Redmi 9s / 9 Pro

Quem tiver interesse em saber mais ou adquirir as capas, basta acessar o site da marca, os preços são a partir de R$ 89,90  https://www.gocase.com.br/t/colecoes/gocase-antiviral.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?