Empreendedoras utilizam mais a internet para vendas

Levantamento do Sebrae mostra, entretanto, que elas necessitam aprimorar os negócios com uso de ferramentas de gestão digitais

De acordo com uma pesquisa do Sebrae, realizada em parceria com a FGV, 69% das empresárias já vendiam ou passaram a vender pela internet em 2020, principalmente a partir da crise causada pela pandemia de covid-19. Entre os empreendedores homens esse percentual é de 63%.para as vendas online.

Redes sociais, aplicativos e internet são mais utilizados pelas mulheres empreendedoras como canais de venda do que pelos homens donos de negócios. Entretanto, quando se trata de uso de ferramentas digitais mais complexas, para gestão do negócio, o percentual de homens é bem maior do que de mulheres, com destaque para utilização de recursos para automação de processos, por exemplo.

Para a analista de empreendedorismo feminino no Sebrae, Renata Malheiros, a pesquisa mostra que as mulheres empreendedoras estão mais abertas ao universo da internet para comercializar produtos e manter o relacionamento com os clientes de forma online.

“Percebemos que os pequenos negócios mantidos por mulheres seguem a tendência de vendas online e marketing via mídias sociais. Esse movimento já vinha sendo notado, mas foi acelerado com a pandemia. Por outro lado, observamos, pela pesquisa, que elas necessitam aprimorar mais a gestão dos negócios com ferramentas digitais”, avaliou.

Localização do negócio

De um modo geral, maior parte dos pequenos negócios está instalada em uma loja física. Mas quando se observa o percentual de empreendedores que trabalham somente em casa 35% são mulheres e 27% homens.

“Sabemos que essa é uma realidade cultural do nosso país e que outras pesquisas do Sebrae já mostraram que as mulheres dedicam, em média, 17 % menos horas semanais aos negócios do que os homens, por estarem envolvidas com o que chamamos de economia de cuidados, seja com a casa ou com familiares”. destacou analista do Sebrae.

Outras informações da pesquisa:

  • A grande maioria dos empresários (81%), de ambos os gêneros, acusou diminuição das vendas e do faturamento mensal na pandemia.
  • A maioria está em processo de reabertura, com ligeira vantagem para as mulheres (55%) em relação aos homens (51%).
  • Mais da metade dos empresários de ambos os gêneros entrevistados eram MEI, com predominância das mulheres (62% contra 53% dos homens).
  • As mulheres são mais escolarizadas do que os homens: 49% delas têm nível superior completo ou pós-graduação contra 40% dos homens.
  • Mais da metade dos empresários não conseguiu empréstimo. Apenas 22% das empreendedoras e 20% dos empreendedores obtiveram crédito.
  • Empreendedores masculinos e femininos acreditam que a situação econômica do país voltará ao normal em 12 meses.

 

 

*Com informações do Sebrae

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?