Dia Mundial sem Tabaco e os alertas da Sociedade Cardiologia da Sociedade de Oncologia

Dia Mundial sem Tabaco

31 de maio é o Dia Mundial sem Tabaco, uma data para conscientizar os fumantes dos riscos desse hábito que traz danos ao coração e ao pulmão

Neste Dia Mundial sem Tabaco, a Sociedade Brasileira de Cardiologia e a Sociedade (SBC) e Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) fazem o alerta dos riscos do tabagismo. Um hábito que aumenta a chances de doenças cardíacas e a possibilidade de desenvolver um câncer no sistema respiratório. 

De acordo com a SBC, o fumo é um grande vilão das doenças cardiovasculares, sendo a principal causa de óbitos. O número chega a mais de mil mortes por dia. O hábito de fumar aumenta em duas a três vezes o risco de sofrer um AVC, doença isquêmica do coração e doença vascular periférica, e de 12 a 13 vezes mais risco de ter doença pulmonar obstrutiva crônica. 

Além das doenças cardíacas, o fumo é um fator de risco para mais de 50 doenças. Esse hábito é a causa de 85% dos casos de câncer de pulmão.

“A prevalência do tabagismo do Brasil está em 8%, número bastante baixo e equiparado a países como Austrália, Canadá e Nova Zelândia. Os índices vêm diminuindo, porque o país adotou políticas públicas adequadas de combate, como a proibição de propagandas do produto e legislações que, de fato, desestimulam o indivíduo a fumar”, garante a coordenadora de ações relativas ao tabagismo da SBC, Jaqueline Scholz.

Contudo, o fumo é um risco que pode ser controlado. Em tempos de coronavírus, esse hábito pode ser bastante perigoso. Um estudo feito pelo Centro de Pesquisa e Educação para Controle do Tabaco da Universidade da Califórnia, no Estados Unidos, aponta que os fumantes têm 2,25 vezes mais chances de complicações graves decorrentes da COVID-19 do que não fumantes.

Chatbot da SBC 

Dr Cardiol, mascote da SBC, agora ajuda largar o vício do tabaco

Ao perceber o contexto atual, a SBC vem adotando medidas preventivas ao tabagismo. Uma das estratégias foi o desenvolvimento de um chatbot, assistente virtual criado para auxiliar as pessoas a pararem de fumar ou reduzir o consumo. A solução foi lançada em maio e os fumantes pode enviar perguntas e ser orientado quanto ao tratamento.

Chatbot é uma ferramenta de automatização da comunicação que usa inteligência artificial e simula um ser humano na conversação. O algoritmo, à medida que conversa com as pessoas e assimila informação, vai aprendendo e se tornando cada vez mais específico e profundo na sua capacidade de interagir.

“A nossa ideia é um programa de orientação na internet, sem que as pessoas precisem sair de casa para receber informações técnicas, fazendo com que o uso de determinado produto para deixar de fumar seja mais eficaz e efetivo”, conta Jaqueline.

A ferramenta está disponível no site da sociedade: https://www.portal.cardiol.br/

Veja as vantagens do chatbot da SBC:

  • Oferece atendimento humanizado 24 horas, 7 dias por semana.
  • É multicanal e pode ser implementado para várias plataformas de comunicação.
  • Fornece resposta em tempo real.
  • Elimina a sobrecarga dos sistemas tradicionais de atendimento.
  • Cria identificação com a marca e empatia com a diversidade do público.
  • Possibilita aprendizado crescente, por meio da inteligência artificial, gerando conversas cada vez mais assertivas.


É hora de largar o tabaco!

O coronavírus ataca o sistema respiratório e coloca pacientes cardiopatas no grupo de risco. Por isso, o momento de parar de fumar é agora. Esta é uma ideia defendida tanto pela SBC quanto pela SBOC.

O que diz a SBC?
De acordo com a médica, a pandemia do coronavírus pode ser um motivo que faltava para quem pensava em parar de fumar. Isto porque, o tabagismo é um hábito prejudicial que pode aumentar os danos caso a pessoa seja infectada pela covid-19.

Com o chatbot, a SBC está disponibilizando uma plataforma que trará conselhos aos fumantes que querem parar. Eles entenderão mais sobre o vício e se são indicados a usar as reposições de nicotina em adesivo ou goma.

A linha terapêutica de reposição de nicotina não requer prescrição médica, contudo, o uso deve ser acompanhado por um médico. Jaqueline ainda destaca que não são todas as pessoas que vão parar de fumar ao usar um adesivo. A dependência pode estar relacionada a outras doenças, como depressão e ansiedade, assim, a plataforma da SBC ajuda o paciente a entender melhor qual o momento de buscar ajuda médica.

“Essa reposição de nicotina pode ser usada desde que o paciente esteja bem orientado. Ele pode comprar o produto, inclusive, livremente no balcão da farmácia. Se essa pessoa puder fazer isso com orientação adequada, a chance de ter sucesso no tratamento é muito maior. Vamos usar toda a estrutura da SBC para oferecer essa tecnologia aos pacientes, para que tenham informações de qualidade, permitindo que se use tal recurso terapêutico nesse momento em que muitas pessoas querem parar de fumar. A pandemia vai ser um momento bastante propício para isso”, afirma Jaqueline.

Ela orienta que o melhor caminho para os fumantes durante a pandemia é manter a calma e se possível fazer o isolamento social. Ficar em casa é a melhor proteção, uma vez que, assim como hipertensos e cardiopatas, integram o grupo de risco da covid-19. 

Conselhos da SBOC

O Dr. Luiz Henrique Araújo, Médico Oncologista e pesquisador, membro do Comitê de Pulmão da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), reforça que pelo momento em que vivemos com a pandemia do coronavírus, “ uma doença onde o principal foco das alterações está no pulmão, mais do que nunca é o momento de lembrarmos da importância do abandono do tabagismo”. 

O médico explica que não há quantidade mínima para o uso saudável do cigarro, sendo danoso de qualquer forma. “Ele é prejudicial não só para o pulmão, mas para muitos outros órgãos e partes do corpo, como estômago, esôfago, boca, língua, entre outros. Então, para as pessoas que fumam, fica o importante conselho para que consideram fortemente a interrupção do tabagismo”, disse.

Atualmente, os fumantes podem buscar as clínicas de pneumologistas ligadas ao Sistema Único de Saúde para ter apoio e orientação para largar o vício. Assim, “este é o momento ideal de consultar seu médico para saber quais as melhores oportunidades, tratamentos e alternativas que ajudam no abandono do hábito do tabagismo”.

O conselho para os fumantes é “consultar seu médico para saber quais as melhores oportunidades, tratamentos e alternativas que ajudam no abandono do hábito do tabagismo.”

Nesta época de pandemia, o confinamento e o isolamento social contribuíram para o aumento do consumo do álcool e do tabaco e estes hábitos são danosos à saúde. “Mas por outro lado, a doença causada tanto pelo cigarro, quanto pelo coronavírus são dois efeitos sinérgicos, ou seja, colaborativos, que queremos de toda forma eliminar, por isso conte sempre com o apoio da SBOC e do seu médico”, aconselha o dr. Dr. Luiz Henrique Araújo

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?