fbpx

Dia das Crianças: movimentação financeira deve passar de R$ 7 bilhões

movimentação
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Pesquisa da CNC mostra que a data pode representar uma movimentação importante para o comércio

O Dia das Crianças de 2021 promete ser o melhor em volume de vendas dos últimos cinco anos e representar uma movimentação financeira importante para o comércio. A estimativa é da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a data é a terceira mais significativa do calendário do varejo nacional, ficando atrás do Natal e do Dia das Mães

Em números, a movimentação esperada deve ser de R$ 7,43 bilhões, o maior resultado desde 2015, quando foram registrados R$ 7,52 bilhões de presentes para os pequenos.

Concordando com a previsão da CNC, a pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) indica que os lojistas esperam um aumento de até 30% nas vendas.

De acordo com a CNC, os itens mais procurados deste ano devem ser os eletroeletrônicos, tablets e smartphones, que foram destaques em anos anteriores. Já a pesquisa da Alshop indica que os consumidores irão buscar presentes mais baratos, 18,8% dos consumidores procuram itens de até R$ 80 e outros 75% procuram itens de R$ 81 a R$ 150. Os eletrônicos, itens de valor agregado mais alto, têm sido procurados por apenas 6% dos clientes nas lojas e sites.

“Com o aumento de custos indiretos e do dólar, os brinquedos estão mais caros neste ano, mas a reabertura das lojas, dos centros de compra incluindo as áreas de lazer dos shoppings tem atraído as famílias que buscam um pouco de diversão após mais de um ano e meio sob as restrições. Isso leva a um aumento nas vendas embora com ticket mais baixo do que dos anos anteriores”, explica Nabil Sahyoun, presidente da Alshop.

Contratação temporária

A movimentação das lojas durante o período também traz um outro efeito importante: o aumento das contratações temporárias. A Allis Temporários aponta que  para atender as demandas de vendas foram contratados, no primeiro semestre deste ano, cerca de 3 mil trabalhadores temporários, sendo que 1/3 foi efetivado. A empresa prevê mais de 4,5 mil contratações para o segundo semestre do ano, incluindo as posições para atuação no período do Dia das Crianças. 

O aumento das contratações se deve principalmente pela maior expectativa de vendas proporcionada pelo momento atual, com a vacinação contra a covid-19, e o retorno da compra física. “Foi uma demanda muito ocasionada pelo otimismo do mercado com a vacinação, além das empresas que tiveram crescimento e estão fazendo investimentos adicionais no mercado, nos segmentos de logística, devido à alta demanda pelas compras digitais e a própria sazonalidade”, comenta André Romero, diretor da Allis.

Os setores que terão melhor desempenho nas vendas voltadas para o feriado e, consequentemente, mais contratações temporárias, são os de vestuário e calçados, com crescimento esperado de 10,2%, seguido pelo de brinquedos e eletroeletrônicos, que deverá expandir 5,7%.

“É uma possibilidade importante para quem estava fora do mercado de trabalho e precisava de uma fonte de renda e, do lado da empresa, para a geração de mão de obra qualificada”, comenta o diretor da Allis, uma das empresas que mais selecionam e recrutam temporários no país – já viabilizou a contratação de mais de 100.000 profissionais desde 2008.

A indústria corresponde a 65% das vagas temporárias no Brasil, porém outros segmentos, como tecnologia, finanças, saúde, recursos humanos, vendas e marketing, também vêm apostando nesse modelo de contratação. A projeção do setor até o final de 2021 é que haja a contratação de 1,9 milhão de temporários, uma alta de 28% referente a 2019.

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?