Clubhouse: uma nova rede social para networking e negócios

clubhouse

Clubhouse é o rede social do momento. O app está avaliado em 1 bilhão de dólares e tem cerca de 6 milhões de usuários

As redes sociais se mostram imbatíveis nesse universo digital em que estamos inseridos. Reclamamos delas, mas não vivemos sem. As pessoas adoram ter um espaço online para interagir com família, amigos e até desconhecidos, um exemplo é o Omegle, onde é possível ter conversas aleatórias com pessoas em várias partes do mundo. 

Os internautas também adoram defender ideias por lá, basta ver o período eleitoral, ou pós. Afinal, situação e oposição defendem as respectivas convicções diariamente. O digital criou novos formatos e surgiram novas celebridades, como os influenciadores digitais, que são produtores de conteúdo de temas determinados.

Ao falar de rede social é impossível não mencionar o Orkut. Talvez, o vício tenha começado ali. Atualmente, convivemos com Facebook, Twitter, Instagram, Linked-In, Snapchat e Tiktok. São muitas e cada rede tem uma característica própria e claro, um target, público-alvo, definido. 

Agora nos cabe entender qual é o propósito e como funciona o Clubhouse.

Clubhouse: entendendo a rede social

A plataforma vem se popularizando no Brasil, mas foi lançada em abril do ano passado. A rede permite apenas áudio e para entrar é preciso ter um iPhone, o app só está disponível para o sistema IOS, e receber um convite.

Usuário da novidade (imagem à esquerda), Vinícus Taddone, founder da VTaddone Studio e especialista em Marketing Digital, acredita que a restrição da entrada na nova rede “gera um efeito de exclusividade nas pessoas. Essa sensação de pertencimento e de permissão ao restrito, está deixando as pessoas enlouquecidas.”

Uma rede que se conversa apenas por áudio, funcionando como um rádio, em que é possível criar salas de bate-papo ou participar dos ‘clubs’. Mas conversar por áudio não é uma novidade, qual é hype do Clubhouse?

A rede conta com perfis de destaque como Elon Musk, Mark Zukerberg e aí entra a história dessa plataforma. O usuário pode entrar nas salas e ouvir as conversas destes nomes. Taddone avalia que “tem sala que vale mais do que um MBA. Quanto custa uma palestra de Flávio Augusto ou Cris Arcangeli?”

clubhouse
Talita acredita que “o app traz o diferencial do networking”. Foto: divulgação.

Cada sala pode receber até 5 mil ouvintes ao mesmo tempo e todos são bem-vindos para uma conversa, como conta a diretora da Agência Contatto, Talita Scotto, que complementa, “o app traz o diferencial do networking, do “aprender em tempo real” e de ser ouvinte com a sensação de se estar em um grande evento, mas a realidade é que se está ao toque de pesquisar assuntos que agradam e entrar e sair de salas de bate-papo.”

As conversas nas salas não ficam gravadas, os usuários precisam se organizar para ou criar um evento ou participar de um. Vinícius Taddone destaca que o app tem “O poder de reunir grandes referências, interagindo sobre negócios, empreendedorismo e marketing digital, podem te trazer insights fantásticos. E de graça!”

Talita Scotto avalia o que será dessa rede: “mesmo estando no começo, o Clubhouse é uma rede social que terá muito espaço para crescer e grande potencial para ser explorado. Com mais uma rede social disponível, definir estratégias e canais se tornarão determinantes para a indústria da comunicação: disputa por audiência, geração de conteúdo em formatos distintos e um futuro promissor”, finalizou.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?