Agência da ONU escolhe startup brasileira para arrecadar doações durante a pandemia

WFP Centro de Excelência Contra a Fome Brasil faz parceria com a Ribon para viabilizar a descontaminação de merendas escolares para alunos da rede pública de ensino

 

A  startup Ribon foi escolhida para levantar doações e viabilizar a aquisição de itens de limpeza e descontaminação para escolas públicas durante a pandemia pelo WFP Centro de Excelência contra a Fome Brasil, braço do programa mundial de alimentos da Organização das Nações Unidas (ONU). A necessidade desta parceria surgiu devido a suspensão das aulas como parte das medidas de combate ao novo coronavírus.  Pois fez com que mais de 40 milhões de crianças deixaram de receber as refeições do Programa Nacional de Alimentação Escolar todos os dias.

Entenda o motivo

Para contornar a situação, uma nova lei foi aprovada para que prefeituras e governos estaduais distribuíssem às famílias desses alunos os alimentos que seriam utilizados para elaborar as refeições durante o período de suspensão de aulas. Todavia, as escolas não contam com material para higienização dos alimentos e nem kits de proteção para quem vai realizar as entregas. Há falta de luvas, detergente, esponja, entre outros itens de EPIs. Inicialmente, serão beneficiadas cidades com menos de 25 mil alunos.

A parceria com a Ribon permitirá que a arrecadação seja feita por meio do aplicativo deles, uma plataforma já utilizada por milhares de usuários.  Nos últimos dois anos já realizaram mais de 7 milhões de doações. Beneficiando milhares de pessoas em todo o mundo. A Ribon promove um experiência de  doação onde usuários podem ajudar ONGs sem precisar gastar dinheiro.

Como funciona

Ao baixar o aplicativo Ribon, o usuário tem acesso a histórias selecionadas pela curadoria da socialtech. O foco é compartilhar apenas notícias positivas e atitudes que podem melhorar o mundo. Cada texto acessado vem acompanhado por um pacote de 100 “ribons”, que são moedas virtuais utilizadas dentro do app. Com elas, os usuários fazem suas doações para as causas disponíveis sem precisar gastar dinheiro nessa ação.

Qualquer pessoa pode doar para quantas causas quiser desde que haja um saldo de ribons acumulados na sua conta nesta estratégia de gamificação. Assim, com 100 ribons é possível doar o equivalente à descontaminação de 1 merenda escolar. O fato do usuário não precisar desembolsar dinheiro para fazer uma doação é possível graças à captação de recursos de fundações que indicam as organizações não-governamentais (ONGs) que serão apoiadas.

Os valores que cada causa recebe também são decididos pelos usuários por meio da quantidade de ribons doados para cada uma delas. Estes são convertidos em dinheiro e o valor é transferido para as ONGs parceiras, como o WFP Centro de Excelência. “É um modelo que engaja o usuário numa causa e cria um movimento. Se ele se sentir sensibilizado, pode pagar por uma uma assinatura mensal e aumentar significativamente o seu impacto como doador”, explica Rafael Rodeiro, fundador e CEO da Ribon.

As doações feitas pelos usuários da plataforma são enviadas para as ONGs semanalmente. A prestação de contas é feita por meio de um comprovante de doações que é enviado aos usuários no momento em que o dinheiro é mandado para as ONGs. O comprovante traz informações sobre a quantidade de ribons doados por toda a base de usuários, o impacto gerado por essas doações e várias outras informações exclusivas sobre as ONGs ajudadas.

Histórico

Para se ter uma ideia, os 1,2 bilhões de ribons doados pelos usuários da plataforma entre 2017 e 2019 já proporcionaram 1 ano de água potável para 14.056 pessoas, 1 ano de medicamentos para 22.597 pessoas, 1 ano de fortificação alimentar para 46.139 pessoas e 1 ano  de saúde básica para 10.930 pessoas. Além disso, a Ribon tem trabalhado com outras ONGs brasileiras como a Favela Sem Corona e a Ação da Cidadania no combate aos impactos causados pelo Coronavírus. Ao todo, os usuários já doaram mais de 50 milhões de ribons para essa causa, possibilitando a distribuição de alimentos, produtos de higiene e testes de COVID-19 em comunidades carentes.

Sobre a Ribon

A Ribon foi fundada em Brasília pelo então estudante de Engenharia de Produção da UnB (Universidade de Brasília), Rafael Rodeiro, em 2016. Após terminar a gestão como presidente da empresa-júnior da instituição, Rodeiro tinha como objetivo empreender em algo que tivesse propósito. Foi quando começou a idealizar um produto que tornasse a doação para caridade parte da cultura do brasileiro. Três anos depois, a Ribon passou por aceleração na Cotidiano, recebeu investimento da Redpoint. Atualmente participa do programa CUBO, do Itaú. Além da WFP, as ONGs brasileiras que podem ser ajudadas via Ribon são Favela Sem Corona, Ação da Cidadania e Pimp My Carroça.

 

Baixe agora o app Ribon: https://rib.app.link/baixaragora

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?