Umidade do ar em baixa: DF segue em estado de alerta

Defesa Civil reforça necessidade de aumentar cautela com a saúde nesta semana

Imagem de StockSnap por Pixabay

Se no verão brasiliense os ipês amarelos roubam a cena na paisagem local, a falta de chuva acaba, consequentemente, fazendo com que a umidade caia proporcionalmente a beleza das árvores. Comparações à parte, o fato é que, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), o Distrito Federal atingirá temperaturas elevadas chegando aos 33º. A previsão é que a capital continue com registros de baixa umidade, inferiores a 20%, nesta semana.

Sendo assim, a Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil, atrelada à Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF), corrobora a importância da população aumentar os cuidados com a saúde. “De acordo com o INMET, estamos há 114 dias sem chuvas e com as temperaturas elevadas, a população sente ainda mais os impactos deste período de estiagem. Por isso é tão importante dar ainda mais atenção às medidas que minimizem os impactos à saúde, como manter-se hidratado e não descuidar de crianças e idosos, que são mais frágeis”, alerta o subsecretário da Defesa Civil, coronel Alan Araújo.

O quadradinho está pura secura! – nossos narizes são testemunha cabal disto, no momento – O que comprova a afirmação é o estado de alerta do momento, ou seja, a umidade está abaixo de 20% por no mínimo três dias consecutivos. Há ainda dois níveis de classificação com os níveis de umidade relativa do ar: estado de emergência – abaixo de 12% por três dias consecutivos – e o estado de atenção – variação entre 30% e 20% por cinco dias.

A Defesa Civil tem enviado mensagens, via SMS, à população destacando a importância de tomar os devidos cuidados neste período. Para receber os alertas é necessário fazer um cadastro prévio, enviando o CEP para o número 4019.

A circunstância atual provoca uma dificuldade “natural” para a respiração. Por isso, em caso de suspeita de coronavírus averigue o quanto antes a situação. Contudo, vale ressaltar que também pode ser o sintoma de outro vírus respiratório. “Neste casos, o paciente deve ser avaliado o mais breve pelo serviço de saúde e iniciar o tratamento necessário”, afirma o médico da Defesa Civil, José Evoide.

Dicas de sobrevivência a baixa umidade 

  •  Lave as mãos com frequência e evite colocá-las na boca e no nariz. Não esqueça de usar máscara de proteção individual, importante neste período para evitar o contágio pelo novo coronavírus;
  • Procure manter o corpo sempre bem hidratado. Portanto, beba bastante água, mesmo sem sentir sede. Na hora do lanche ou da sobremesa, dê preferência a frutas ricas em líquidos, como melancia, melão e laranja, por exemplo. Em especial, fique atento à hidratação das crianças, idosos e dos doentes;
  • Aplique soro fisiológico no nariz e nos olhos para evitar o ressecamento;
  • Evite a prática de exercícios físicos ao ar livre entre 10h e 17h;
  • Use produtos para hidratar a pele do rosto e do corpo, pelo menos depois do banho e na hora de deitar;
  • Coloque chapéus e óculos escuros para proteger-se do sol;
  • Aproveite o vapor produzido pela água durante o banho para lubrificar as narinas
  • Coloque toalhas molhadas, recipientes com água ou vaporizadores nos quartos de dormir;
  • Evite aglomerações e a permanência prolongada em ambientes fechados ou com ar condicionado, pois o ressecamento das mucosas aumenta o risco de infecções das vias aéreas;
  • Mantenha a casa sempre limpa e arejada. O tempo seco aumenta a concentração de ácaros, fungos e da poeira em móveis cortinas e carpetes;
  • Procure não usar vassouras que levantam o pó por onde passam. Dê preferência para aspiradores ou panos úmidos;
  • Ligue ventiladores de teto no modo “exaustor”, com ar direcionado para cima. Ligados para baixo, no modo “ventilação”, levantam a poeira que se mistura no ar;
  • Não queime lixo nem provoque queimadas por descuido ou desatenção.

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?