fbpx

Theatro Municipal do Rio de Janeiro comemora os 90 anos da Orquestra Sinfônica

Para celebrar os 90 anos da Orquestra Sinfônica, o Theatro Municipal realizará quatro concertos inéditos, a partir do dia 24 de setembro

Theatro
OSTM sob a regência de Eleazar de Carvalho. Foto: Centro de Documentação (CEDOC/TMRJ)

Uma das mais importantes orquestras do país está de aniversário. Fundada há 90 anos, a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (OSTM) revela talentos, apresenta obras-primas de compositores nacionais e internacionais, consegue atrair plateias do mundo todo para ouvir e assistir a música de concerto neste templo cultural histórico do país.

Fundada em 02 de maio de 1931, a OSTM tem uma trajetória com muitas. curiosidades como o nome de Francisco Braga, o primeiro maestro titular do Theatro e autor do Hino da Bandeira. A Orquestra fez a primeira apresentação no dia 05 de setembro de 1931, às vésperas da data comemorativa da Independência do Brasil. O concerto de estreia da Orquestra Sinfônica contou com a participação de Tito Schipa, considerado um dos maiores tenores italianos da primeira metade do século 20, que gostava muito do Brasil, onde vinha com a Companhia Lírica da Itália.

theatro
Imagem: Acervo Centro de Documentação (CEDOC/ TMRJ)

Compositor, professor do Instituto Nacional de Música e criador da Sociedade de Concertos Sinfônicos, Braga foi aluno do compositor francês Jules Massenet e participou ativamente da história do Theatro Municipal, desde os primeiros anos. Ele comandou o espetáculo de inauguração do Theatro Municipal, em 14 de julho de 1909, ao lado do amigo e contemporâneo Alberto Nepomuceno. E foi o maestro que lançou, nos concertos, a música do talentoso compositor Heitor Villa-Lobos.

Francisco Braga foi um dos maiores responsáveis pelo Theatro ter, hoje em dia, o Coro e a Orquestra Sinfônica, porque participou da comissão criada nos anos de 1930 para estudar a implementação dos corpos estáveis do Municipal do Rio e transformar isso em lei.  Foi então nomeado o primeiro maestro da OSTM, e acabou sendo o regente que mais realizou concertos no TMRJ, onde ficou até meados de 1935, quando se afastou por problemas de saúde. O maestro selecionou os primeiros 60 músicos da Orquestra que foram recrutados através de concurso público.

Depois de Braga, sucederam-se no comando da OSTM inúmeros regentes como Henrique Spedini, Mário Tavares, Henrique Morelenbaum, Silvio Barbato, Guilherme Bernstein Seixas, Roberto Minczuk, Silvio Viegas, Tobias Volkmann, Cláudio Cruz, Luiz Fernando Malheiro, e atualmente o americano Ira Levin, que também é Diretor Artístico.

theatro
Foto: Junior Barros

Ao longo de toda a trajetória a OSTM dedicou- se ao repertório sinfônico, às composições líricas e aos balés. Os maiores nomes da regência mundial já estiveram à frente da Orquestra, como Ettore Panizza, Tullio Serafin, Gino Marinuzzi, Gennaro Papi, Albert Wolff, Fritz Bush, Erich Kleiber, Eugen Szenkar, Karl Elmendorff, Hans Swarowsky, Edoardo Di Guarnieri, Antonino Votto, Werner Janssen, Oliviero de Fabritiis, Jean Paul Morel, Francesco Molinari-Pradelli, Eleazar de Carvalho, Ettore Gracis, Jacques Pernoo, Antonio Tauriello, Anton Guadagno, Michelangelo Veltri, García Navarro, Romano Gandolfi, Mstislav Rostropovitch, Neeme Jarvi, Gabor Ötvos e Anton Nanut.

E compositores muito famosos como Igor Stravinsky, Paul Hindemith, e os brasileiros Heitor Villa-Lobos, Francisco Mignone, Oscar Lorenzo Fernandez, Radamés Gnatalli, José Siqueira, Camargo Guarnieri, Guerra-Peixe, Cláudio Santoro, entre outros.

A OSTM, além de se apresentar em casa, no palco do Municipal, circula em outros importantes espaços culturais: Sala Cecília Meireles, Teatro João Caetano e Museu de Arte Moderna, dentre outros. Desenvolve importante ação cultural apresentando-se para um público muito amplo e diversificado em diversas cidades do Estado do Rio de Janeiro, tendo participado também de eventos como os Festivais de Música da Guanabara, o Festival Villa-Lobos, a Bienal de Música Brasileira Contemporânea e o Projeto Aquarius.

Theatro Municipal de Portas Abertas On-Line

No mês em que a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro completa 90 anos de sua primeira apresentação, que aconteceu em 05 de setembro de 1931 com o grande concerto Tito Schipa, uma série de quatro obras de Mozart será apresentada a partir desta sexta-feira (24) nas redes oficiais do TMRJ. A regência é do maestro titular Ira Levin.

Confira a programação do projeto “Theatro Municipal de Portas Abertas On-line”

24/09 (sexta- feira)
Concerto para Trompa No3 em Mi Bemol Maior K447- Solista: Philip Doyle       

01/10 (sexta- feira)
Concerto para Fagote em Si Bemol Maior K191 – Solista: Marcio Zen              

08/10 (sexta- feira)
Concerto para Flauta No2 em Ré Maior K314 – Solista: Eugênio Ranevsky     

15/10 (sexta- feira)
Concerto para Trompa No4 em Mi Bemol Maior K495 – Solista: Daniel Soares (2 oboés, 2 trompas, cordas)

Os espetáculos serão transmitidos pelas redes sociais do Theatro Municipal.

Canal do YouTube: https://www.youtube.com/c/theatromunicipaldoriodejaneiro
Facebook: https://www.facebook.com/theatro.municipal.3
Instagram: https://www.instagram.com/theatromunicipalrj/?hl=pt-br

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?