Relatório Anual prevê aumento de empreendedores no Brasil para 2020

empreendedores
Camila Miglhorini, fundadora da rede de alimentação saudável Mr. Fit, que sentiu um aumento na procura de interessados em abrir uma microfranquia da marca

O empreendedorismo será a chave para superar a crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus

O impacto na atividade econômica pelo coronavírus deverá aumentar o número de empreendedores no país. O relatório anual do Global Entrepreneurship Monitor 2020 (GEM), elaborado em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), apontou que o empreendedorismo vai atrair 25% dos brasileiros e atingir a maior taxa já apontada nos últimos 20 anos.

Marco Aurélio Bedê, analista de gestão estratégica do Sebrae, avalia que “as medidas de isolamento social, resultado da pandemia do Coronavírus, estão provocando um enorme impacto sobre a economia e – em especial – sobre os pequenos negócios. A expectativa de todos os analistas para os próximos meses é de retração do PIB brasileiro e mundial. Nesse contexto, devemos registrar um crescimento da informalidade, com o crescimento do número de pequenos negócios informais, criados por necessidade.”

O país já tem 10.226.948 de microempreendedores individuais, dados de junho. Criado em 2009 para reduzir a informalidade e garantir direitos, como a aposentadoria aos autônomos, o MEI se mostra um caminho viável para muitos brasileiros.

Nos últimos anos, pesquisas como o GEM apontam para um crescimento no perfil empreendedor no país. Sendo que quando se trata do desejo de empreender, os brasileiros aparecem em quarto lugar no relatório. O Brasil já aparece em 20o no ranking de startups feito pela StartupBlink. 

“O Brasil vinha retomando lentamente o ritmo de empreendedorismo que ficou comprometido com a crise econômica vivida pelo país a partir de 2014. As últimas pesquisas GEM mostram que o Brasil estava recuperando um lugar de destaque com a retomada do empreendedorismo. O aumento significativo na taxa de empreendedores iniciais se deveu ao movimento de retomada da economia que vinha acontecendo antes da chegada da pandemia e do otimismo no meio empresarial e financeiro.”, explica o analista do Sebrae.

Franquias

Outra possibilidade para a retomada da atividade econômica é o investimento em franquias. O sistema de franchising se mostra uma solução segura, pois, as franqueadoras transferem um método de trabalho testado e aprovado, além de dar todo suporte na gestão do negócio. Os empreendedores  podem escolher por microfranquias, que demandam um investimento de menor porte e ainda tem a possibilidade de trabalhar de forma remota, em home office.

Segundo André Friedheim, presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), “este difícil momento que vivemos mostra mais uma vez as vantagens de empreender dentro do sistema de franchising. Não que nossas unidades estejam imunes, mas elas têm mais estrutura e acesso a conhecimentos e experiências para reagir mais rápido”.

Os números são animadores, na última pesquisa da ABF sobre o Desempenho Setorial no 1º trimestre de 2020, 47,7% das redes mantiveram ou ampliaram seus planos de expansão mesmo após o anúncio da pandemia.

Feira Virtual de Franquias

Se o presencial deixou de ser recomendado, no início de julho acontece a primeira Feira Virtual de Franquia. “A ideia é ligar pessoas e marcas de forma virtual por meio de videoconferências em dias e horários pré-estabelecidos com foco em determinada regiões do país”, explica Ricardo Branco, diretor executivo da feira.

Como vai funcionar? Os empreendedores interessados podem visitar o site (https://www.feiravirtualdefranquia.com.br/), escolher as marcas de interesse e participar de reuniões virtuais, cada encontro poderá reunir até 1000 interessados.

A participação é gratuita, sendo possível participar de quantas reuniões desejar. Até o momento, já são mais de 30 opções de redes disponíveis, na sua maioria nanonfranquias com investimentos até R$ 20 mil e microfranquias com investimentos até R$ 90 mil. As datas da feira virtual:  08/07 – São Paulo/SP, 22/07 – Belo Horizonte/MG, 29/07 – Rio de Janeiro/RJ.   

Mais opções para os empreendedores


Casa de Bolos – pioneira no segmento de bolos caseiros
Investimento inicial: a partir de R$ 165 mil (inclui taxa de franquia)
Lucro: até 60% do faturamento mensal
Retorno do investimento: 24 meses

Mr. Fit – primeira rede de alimentação saudável do País
Investimento inicial: R$ 15 mil (inclui taxa de franquia e o franqueado pode trabalhar de casa)
Faturamento médio mensal: R$ 2.000 até R$ 12 mil
Lucro: até 40% do faturamento
Retorno do investimento: 2 a 12 meses

Park Idiomas – rede de idiomas de inglês e espanhol
Investimento inicial: R$ 80.000,00 (inclui taxa de franquia, modelo quiosque em shopping)
Faturamento médio mensal: R$ 60.000,00
Lucro: até 25% do faturamento
Retorno do investimento: 22 meses

Jan-Pro – franquia de limpeza comercial
Investimento inicial: R$ 16.600,00 (inclui taxa de franquia)
Faturamento médio mensal: R$ 3.670,00
Lucro: até 60% do faturamento
Retorno do investimento: 10 meses

Limpeza com Zelo – focada em limpeza residencial
Investimento inicial: R$ 16.200,00 (inclui taxa de franquia)
Faturamento médio mensal: R$ 4.400,00
Lucro: até 15% do faturamento
Retorno do investimento: 6 meses


Mr. Kids
 – rede de microfranquias do segmento de vending machines
Investimento inicial: R$ 18.700 (inclui taxa de franquia)
Faturamento médio mensal: a partir de de R$ 1.800
Lucro: até 40% do faturamento
Retorno do investimento: de 12 a 18 meses

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?