fbpx

PL: Era Solskjaer chega ao fim no United

solskjaer
Foto: Reprodução/Twitter @manutd
  • O último ato foi a derrota fora de casa para o Watford

  • Clube e Solskjaer chegaram a um acordo ‘amistoso’

  • Michael Carrick assume o United até a confirmação do novo treinador

  • Zidane, Luis Enrique, Erik ten Hag e Pochettino são especulados para assumir o time

A espiral do caos levou a era Solskjaer ao fim no Manchester United. E o último ato foi a derrota para o Watford, em partida válida pela 12a rodada da Premier League. O placar de 4 a 1 deixou claro a crise e a desorganização tática em campo. 

O time escalado não tinha Fred, Pogba ou Van de Beek e o United tentava sair jogando com Matic na criação, o que não funcionou. Rashford, Ronaldo e Sancho estavam em campo, mas pouco conseguiram fazer, em especial durante o primeiro tempo.

Primeiro tempo que teve duas defesas de pênalti. E parecia que De Gea seria o grande salvador do time mais uma vez, mas o roteiro não se sustentou. 

No primeiro tempo, depois de um erro na saída de bola com Bruno Fernandes, o Watford partiu para o ataque e Scott McTominay derrubou o adversário na área e o juiz marcou a penalidade. 

Sarr partiu para a bola e De Gea defendeu, mas o espanhol rebateu a bola e gol do Watford. Mas para tudo, houve uma invasão no momento da cobrança e apesar da reclamação do capitão do United: nova cobrança para o Watford. E David De Gea, que não é conhecido por pegar pênaltis, defendeu mais uma vez.  

O placar seguia igual e os jogadores do United continuavam sonolentos em campo. Erros de passe, falhas na marcação e aos 28 minutos, Joshua King fez o primeiro gol do jogo. Ismaila Sarr, que perdeu os pênaltis, fez o segundo aos 44. 

Na volta para o segundo tempo, Solskjaer colocou Martial e Van de Beek, o holandês marcou e até deu uma esperança para o torcedor, mas 19 minutos depois, Harry Maguire foi expulso da partida e o time se perdeu.

Nos acréscimos, o Watford ampliou e 2 gols viraram 4 e o resultado decretou o fim da era Solskjaer.

Horas depois da partida já se falava em demissão e como o clube iria lidar com a saída do treinador. No domingo (21), veio a confirmação oficial de que Ole Gunnar Solskjaer não era mais o técnico do Manchester United. 

Reconstrução sem títulos

Lenda do Manchester United e herói na conquista do título de 1999 da Champions League, Ole Gunnar Solskjaer pendurou as chuteiras em 2007 e no ano seguinte assumiu o papel de treinador da base. Aquele time tinha dois nomes conhecidos até hoje: Jesse Lingard e Paul Pogba. Depois ele passou pelo Cardiff e pelo Molde da Noruega.

A diretoria, em especial, Sir Alex Ferguson, indicou Solskjaer para assumir o time, interinamente, após a demissão de José Mourinho em dezembro de 2018. Com resultados interessantes, ele foi efetivado e começava ali a missão de reconstruir o Manchester United, que vivia naquele momento (e ainda vive) um cenário instável após a aposentadoria de SAF.

Valorizando a chegada de jovens talentos, o norueguês fez a limpa no elenco: Lukaku, Herrera, Sanchez, Fellaini, Young e Smalling foram alguns dos jogadores que deixaram o clube. E, pode-se dizer que, a única contratação que faltou foi a de um volante. 

Solskjaer reforçou a defesa, tão criticada em temporadas anteriores, com a chegada de Wan-Bissaka, Maguire e, nessa temporada, com a contratação de Raphael Varane. O brasileiro Alex Telles também entra nesta lista. 

A chegada de Bruno Fernandes impulsionou o time, que chegou a final da última Europa League e terminou em segundo no campeonato inglês da última temporada. 

Para o ataque, o United trouxe por empréstimo Odion Ighalo, que acabou sendo ofuscado de vez com a chegada de Edinson Cavani.

Falando em meias, Donny Van Beek foi contratado e causou um alvoroço entre os torcedores. Mas parecia que a comissão técnica não sabia o que fazer com o holandês e ele pouco jogou. Com isso, as especulações de uma saída aumentaram nos últimos meses, o que pode mudar com a presença de um novo treinador.

Cobiçado pelo norueguês, Jadon Sancho trocou o Borussia Dortmund pelo United nesta temporada e claro, a volta de Cristiano Ronaldo, essa teve mais o dedo da diretoria do que do treinador, que sinalizava a necessidade de um meia defensivo. 

A base e os jovens jogadores também voltaram a aparecer em campo, no banco e na lista de inscritos nas competições. Mason Greenwood é uma das revelações do United durante a era Solskjaer, que ainda contratou Amad Diallo e Facundo Pellistri. 

A frase “Trust The Process” ou em português, “Confie no Processo”, foi dita inúmeras vezes nos últimos anos, até que a magia se quebrou. Nos últimos cinco jogos pela Premier League, o United perdeu quatro e levou 15 gols e fez apenas seis. O time lidera o grupo na Champions League, mas corre o risco de ficar de fora das oitavas de final e isso preocupa demais os torcedores.

Despedida

O anúncio feito pelo Manchester United teve o tom de respeito com a história do ex-jogador, mas também com o técnico, que nunca lavou roupa suja durante as coletivas e sempre optou em defender os jogadores e a diretoria.

Os jogadores também se despediram com muito carinho do mestre noruguês. Confira a lista das mensagens dos atletas nas redes sociais

Pelas redes sociais, Patrice Evra, ex-lateral e ex-companheiro de Solskjaer nos Diabos Vermelhos, resumiu o sentimento de muitos torcedores: “obrigado por nos fazer acreditar de novo no Manchester United, meu amigo”.

Próximo treinador?

As especulações aumentaram nas últimas horas, e alguns nomes que estão sendo cogitados são: Zinedine Zidane, Luis Enrique, Erik ten Hag, Mauricio Pochettino, Brendan Rodgers, Graham Potter e Laurent Blanc, ex-zagueiro com passagem pelo United entre 2001 e 2003.

De acordo com a imprensa inglesa, Cristiano Ronaldo teria sugerido Luis Enrique, ex-jogador e ex-técnico do Barcelona. 

Outros apostam em Zidane, por ter sido técnico de Ronaldo e Varane no Real Madrid, e não podemos esquecer que o francês venceu três vezes a Liga dos Campeões. Por outro lado, de acordo com a BBC, fontes ligadas ao francês afirmam que ele não está interessado em ir para Old Trafford por enquanto, isto porque Zizou prefere assumir ou a seleção francesa ou o PSG.  

Até o anúncio ser feito pela diretoria, Michael Carrick terá a difícil missão de preparar o United para o jogo da próxima terça-feira contra o Villarreal. A partida é importante para a definição na Champions League e depois, o time ainda enfrenta o líder da Premier League.

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?