Série Parques do Brasil: contemple a natureza em casa

Lagoa do Plantalto do Itatiaia. Foto: divulgação

Segunda temporada da Série estreia dia 26 de julho, domingo às 19h na TV Brasil com o Parque Nacional do Itatiaia

Os Parques Nacionais são muito importantes para o país. Pois o Brasil guarda a maior biodiversidade do planeta.  Nosso vasto território apresenta uma enorme diversidade de ecossistemas, agrupados em seis biomas terrestres. Desde o século XVI, todos esses ambientes vêm sofrendo impactos severos das atividades produtivas humanas. O que provoca a conversão e a fragmentação dos ecossistemas naturais, a extinção de espécies, bem como uma série de processos de degradação do solo, do ar e da água, desencadeando desequilíbrios nos sistemas naturais que colocam em risco a qualidade de vida e a saúde das pessoas.

Por isso as unidades de conservação  são estabelecidas em todas a regiões do país, para conservar tais ecossistemas e a biodiversidade. Desta forma, garantem a manutenção de serviços ecossistêmicos fundamentais para a vida humana.

Fundamentais para a saúde das pessoas e do planeta

Essas unidades mitigam os problemas gerados pelo Antropoceno e promovem o equilíbrio ecológico e biogeoquímico, que é essencial para a manutenção de um mundo saudável. Além disso, contribuem para  a regulação do clima, o controle biológico de pragas e patógenos, a disponibilização de polinizadores para a agricultura, a manutenção de solos e de recursos hídricos.  Também  protegem um banco genético único, primordial para o desenvolvimento da ciência, a segurança alimentar e a promoção da saúde.

Os parques nacionais promovem a saúde e o bem-estar das pessoas diretamente, impulsionando atividades esportivas, de lazer  e contemplação na natureza, diminuindo o sedentarismo, o estresse e diversos outros fatores que contribuem para o surgimento de transtornos e doenças.

Conscientização ambiental

Com o objetivo de promover o conhecimento sobre a importância dessas unidades para a conservação da biodiversidade e a promoção da vida, a Casa de Osvaldo Cruz, numa parceria inédita com a Empresa Brasil de Comunicação-EBC e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade-ICMBio, desenvolvem e produzem a série de TV e web Parques do Brasil.

A primeira temporada da série foi lançada em 2018, com ótimos resultados de audiência. Pois ela foi composta de seis episódios com informações e histórias sobre os ecossistemas, a biodiversidade e os serviços ambientais.  Nela, foram divulgados os parques nacionais das Emas(GO/MS), da Serra da Canastra(MG), do Pau Brasil (BA), da Serra das Lontras (BA), de Boa Nova(BA), da Chapada Diamantina(BA), da Serra da Bodoquena(MS), da Chapada dos Guimarães(MT) e da Reserva Biológica de Una(BA).

 

Episódio de estreia na: Parque Nacional do Itatiaia

Pico das Agulhas Negras. Foto: divulgação

Localizado entre as duas maiores metrópoles brasileiras e criado em 1937, Itatiaia é o parque nacional mais antigo do Brasil e protege um trecho da Serra da Mantiqueira, em pleno Vale do Paraíba do Sul, na divisa dos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo.

O episódio se divide em dois blocos, o primeiro apresenta a parte baixa e o segundo, a parte alta do parque.

A parte baixa do Itatiaia

Saíra-sete-cores do Parque Itatiaia
Saíra-sete-cores. Foto: divulgação

Na parte baixa, a avifauna é um espetáculo a parte e apresentamos espécies como a saíra-sete-cores (Tangara seledon), o araçari-banana (Pteroglossus bailloni), o entufado (Merulaxis ater), o tiê-sangue (Ramphocelus bresilius), entre várias outras.

Além delas, destacamos o rio Campo Belo e suas várias cachoeiras, primatas ameaçados como o Muriqui-do-Norte (Brachyteles hypoxanthus), a onça-parda (Puma concolor), o queixada (Tayassu pecari) e plantas emblemáticas da Mata Atlântica , como o  palmito-juçara (Euteper edulis) e o samambaiaçu (Dicksonia sellowiana), além de plantas endêmicas como a Bromélia Nidularium itatiaiae.

No segundo bloco, os destaques são as montanhas, as nascentes e a diversidade de plantas dos campos de altitude do parque.

Entre picos que alcançam 2.791 metros de altitude, como o das Agulhas Negras, contamos histórias sobre uma das localidades mais frias do Brasil.

O planalto do Itatiaia já registrou 13 graus abaixo de zero e nevascas em pleno estado do Rio de Janeiro.

A parte alta do Itatiaia

Estévia do Parque Itatiaia
Estévia. Foto: divulgação

Ali encontramos o sapo-flamenguinho (Melanophryniscus moreirae) – símbolo da unidade-, o lobo-guará (Chrysocyon brachyurus) , que é considerado o maior canídeo brasileiro.  A diversidade de plantas é uma atração interessante do episódio.  Isso porque no  Itatiaia se  encontra muitas espécies endêmicas e que despertam  interesse para as ciências da saúde, como a erva Hesperozygis myrtoides, o poejo-do-campo (Cunila galioides), a estévia (Stevia camporum) e a macela-do-campo (Achyrocline satureoides).

O episódio revela ainda que o maciço do Itatiaia funciona como uma imensa caixa d’água, pois garante a proteção de várias nascentes e rios de uma bacia hidrográfica que atende uma população de mais de 17 milhões de pessoas.

Sobre os próximos episódios

Na sequência de exibição da série, serão  apresentados o Parque Nacional das Sempre-Vivas (02/08), o Parque Nacional do Iguaçu (23/08) e o Parque Nacional do Descobrimento (30/08).

 

Ficha técnica:

Direção: Carlos Sanches

Imagens, Concepção e Conteúdo: Carlos Sanches e Luciana Alvarenga

Narração: Sidney Ferreira

Roteiro: Carlos Sanches e Stephania de Azevedo

Trilha sonora original: Flavia Tygel

Edição e Finalização: Carolina Rodrigues e Filipe Ronqui

Ilustrações e Videografismo: Marco Bravo e Sergio Pranzl

Sonorização e Mixagem: Maurício de Azevedo

Correção de Cor: Glauco Guigon

Produção ICMBio: Carla Guaitanele

Esta temporada foi realizada, produzida e concebida com a participação dos analistas ambientais e das equipes do Parque Nacional do Itatiaia, do Parque Nacional das Sempre-Vivas, do Parque Nacional do Iguaçu, do Parque Nacional do Descobrimento, e de várias outras unidades do ICMBio.

Coordenação do Projeto: Luciana Alvarenga, Carlos Sanches e Márcia Muchagata

 

Calendário de Exibição:

26/07 – domingo – 19h – Parque Nacional do Itatiaia (com reprise no dia 09/08);

02/08 – domingo – 19h – Parque Nacional das Sempre-Vivas (com reprise no dia 16/08);

23/08 – domingo- 19h – Parque Nacional do Descobrimento (com reprise no dia 06/09);

30/08 –domingo – 19h – Parque Nacional do Iguaçu (com reprise no dia 16/09).

 

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?