Neymar é expulso, acusa adversário de racismo e cobra arbitragem na França

O camisa 10 do PSG se pronunciou nas redes sociais. O acusado foi o zagueiro do Olympique de Marselha, Álvaro Gonzáles, que rebateu a acusação

Foto: GONZALO FUENTES / REUTERS

O início de temporada de Neymar Jr. começou bem agitado. O jogador passou as férias em Ibiza, voltou com COVID-19, se recuperou, anunciou o patrocínio com a Puma, voltou aos gramados, foi expulso em seu primeiro jogo da temporada e alega ter sofrido racismo em campo. A partida aconteceu no último domingo (13) e foi válida pela terceira rodada Campeonato Francês. O clássico entre Paris Saint German e Olympique de Marselha foi marcado pela terceira derrota do Paris por 1×0, o alto número de cartões (12 amarelos e 5 vermelhos) e pelos gritos do brasileiro contra o racismo.

Tudo começou aos 37 minutos do primeiro tempo, quando Neymar se estranhou com o zagueiro Álvaro Gonzáles, que já tinha se desentendido minutos antes com Di Maria. O camisa 10 do time parisiense  perdeu as estribeiras com o adversário e começou a esbravejar “Racismo não. Racismo aqui, não!” na lateral do campo. O árbitro do jogo, Jérôme Brisard, tentava acalmar o clima tenso enquanto o brasileiro estava furioso por ter sido chamado de macaco. Em contrapartida, Gonzáles pedia a utilização do VAR.

Pelo número de cartões do jogo, era claro de que o juiz não estava com o comando da partida. Já nos acréscimos houve uma confusão generalizada no meio de campo que acabou resultando na expulsão de cinco jogadores: Neymar, Kurzawa e Paredes, pelo PSG, e de Benedetto e Amavi, pelo Marselha. O brasileiro foi expulso após dar um tapa na cabeça de Gonzáles.

Discussão nas redes

Ao final da partida, Neymar se pronunciou sobre o ocorrido em seu Twitter e pegou pesado nas críticas.

“Único arrependimento que tenho é por não ter dado na cara desse babaca”, disse o camisa 10.

 

Na postagem seguinte, o brasileiro foi veemente na reclamação contra a arbitragem de Jérôme Brisard. O desentendimento entre ambos vem da temporada passada, devido a Brisard ter punido o astro com um cartrão amarelo após ele aplicar um drible desconcertante, a carretilha, em um adversário. O fato foi relembrado por Neymar, que cobrou mais critério por parte do juiz.

Réplica e tréplica

Pelo Twitter, o zagueiro do Olympique de Marselha se defendeu. Álvaro negou que tenha usado termos racistas e criticou a postura de Neymar.

“Não existe lugar para o racismo. Tenho a carreira limpa e com muitos companheiros e amigos no dia a dia. Às vezes, as pessoas tem que aprender a perder e assumir isso em campo. Incríveis 3 pontos hoje. Vamos, Olympique! Obrigado, família!”, postou.

Insatisfeito, Neymar fez uma tréplica. Ele respondeu o tweet de González pedindo ao jogador hombridade para assumir o que tinha dito e ainda o chamou de racista.

 

Consequências

De acordo com a rádio RMC, que analisou o regulamento da competição, Neymar pode pegar até sete jogos de suspensão pelo soco dado em Álvaro González. Contudo, se confirmado o ato racista, o espanhol ficaria sem atuar por 10 jogos.

 

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?