fbpx

Muito além de Roberto Carlos: jornalista lança obra sobre a música do Espírito Santo

O jornalista José Roberto Santos Neves apresenta a obra “Os Sons da Memória – Uma Leitura Crítica de 40 Discos que marcaram época na Música do Espírito Santo”

Os Sons da Memória - Uma Leitura Crítica de 40 Discos que marcaram época na Música do Espírito Santo

Pouca gente sabe, mas o Espírito Santo tem uma vertente musical forte e muito diversificada. Em um passado não tão distante, a juventude capixaba curtia e difundia bandas locais com orgulho e paixão dignos de  times de futebol. Porém, muito antes  disso, a música popular brasileira local já tinha o seu grande valor e qualidade.

Um orgulho capixaba: Mauricio de Oliveira com o Prêmio Melhor Disco Erudito 1967 Villa-Lobos, concedido pelo Conselho da Guanabara da OMB. Reprodução do songbook Mauricio de Oliveira

Com a proposta de contar a trajetória da música popular no Espírito Santo por meio de sua produção fonográfica o jornalista e escritor José Roberto Santos Neves,  lança a obra “Os Sons da Memória – Uma Leitura Crítica de 40 Discos que marcaram época na Música do Espírito Santo”.

O lançamento será no dia 05 de outubro, às 19h, no auditório do Titanic, no centro de Vila Velha, acompanhado de palestra do autor sobre o conteúdo da obra, que foi financiada pela Secretaria de Estado da Cultura por meio de edital público.

O evento terá transmissão online pelo YouTube da Editora Cândida e a participação musical dos cantores Carlos Bona e Elaine Vieira, seguindo todos os protocolos de prevenção à Covid-19.

“Os Sons da Memória” é  o sexto livro de José Roberto,  e é resultado de uma extensa pesquisa desenvolvida pelo autor sobre a MPB produzida no Estado, com foco em seus principais personagens: cantores, compositores, regentes, instrumentistas, arranjadores, letristas, bandas, orquestras e todos aqueles que forneceram a régua e o compasso – ou melhor, as partituras, melodias, harmonias e ritmos – para a construção da historiografia musical dessa terra que sempre foi pródiga em revelar talentos.

O contexto local

Espírito Santo foi um dos estados brasileiros no qual o desenvolvimento econômico se deu mais tardiamente. Isso porque com a descoberta do ouro em Minas Gerais, o Estado servia de “barreira verde” para separar o mar das minas de ouro, a Mata Atlântica formava um verdadeiro escudo de proteção.

Somente no final do século XIX, com a cultura do café, e de forma mais consistente com o processo de industrialização iniciado na década de 1960 é que o desenvolvimento econômico aconteceu de fato.

O isolamento dificultou a criação de um mercado consumidor para as artes, mas nunca foi fator de impedimento para a consagração de artistas capixabas em nível nacional, como Maysa, Sérgio Sampaio e Roberto Carlos.

O foco da pesquisa

Para a elaboração deste livro, o autor estabeleceu como meta lançar luz sobre músicos que contribuíram de forma definitiva para a identidade musical do Espírito Santo.

A seleção de discos analisados compreende LPs e CDs lançados desde a década de 1950 até a contemporaneidade.

Como bem destacaram  Rogério Coimbra e Francisco Grijó nos textos de apresentação do livro, a obra compôs um mosaico de sons que se propõe a ilustrar uma trajetória rica e diversa, que perpassa diferentes gêneros musicais .

Desta forma, nomes como Carlos Cruz, Raul Sampaio, Maurício de Oliveira, Carlos Poyares, Pedro Caetano, Hélio Mendes, Trio Caiçara, Achiles Siqueira, Gilberto Garcia, Maria Cibeli, Aprígio Lyrio, Afonso Abreu, Ester Mazzi e Sérgio Benevenuto são revelados nas mais de 460 páginas do livro.

Cantor e compositor Carlos Bona. Foto: acervo pessoal
Cantor e compositor Lula D` Vitória. Foto: acervo pessoal

A geração dos anos 80 é representada nos capítulos dedicados a Carlos Bona, Carlos Papel, Guto Neves, João Pimenta e Lula D’Vitória, assim como o pop dos anos 90 se faz presente na análise dos discos das bandas Manimal e Casaca.

Capa do CD No Tambor Na Casaca Na Guitarra, da banda Casaca

 

 

 

 

 

 

 

 

Guitarrista Saulo Simonassi. Foto: Ariny Bianchi

A produção pós-anos 2000 contempla a potência criativa de Fabiano Araújo, Pedro de Alcântara, Wanderson Lopez, Saulo Simonassi e Hariton Nathanailidis, entre outros nomes que transitam pelo jazz, o choro e a música instrumental de boa cepa.

21.01.2003 -Fafá Lemos e Harilton Nathanailidis – FOTODIGITAL

Infelizmente, boa parte desse material permanece restrito ao formato analógico e inacessível ao público em geral, especialmente os álbuns lançados pelo Departamento Estadual de Cultura nos anos 1980.

Para produzir “Os Sons da Memória”, José Roberto Santos Neves mergulhou nesse arquivo fonográfico e em livros seminais sobre a música do Espírito Santo, entre os quais “Música Popular Capixaba”, do jornalista Osmar Silva, e “Carnaval – Cem Anos”, de Anselmo Gonçalves.

Neves também entrevistou músicos que ilustram as páginas desta obra e visitou o Arquivo Público do Espírito Santo, centros de documentação de veículos de comunicação e diversos sebos em busca de raridades.

Agora chegou a hora de o público conferir esta viagem pelas páginas da MPB produzida no Espírito Santo. Boa leitura!

Mas, e o Roberto Carlos? 

Só citei o “rei” Roberto Carlos para chamar a sua atenção! É claro que o autor da obra reconhece e sabe da amplitude e do alcance do famoso músico. Todavia,  segundo o próprio José Roberto, a intenção do livro “Os Sons da Memória – Uma Leitura Crítica de 40 Discos que marcaram época na Música do Espírito Santo” é “não deixar que se perca no tempo tanto material de qualidade, produzido por talentos  ainda não reconhecidos nacionalmente”, conclui Neves.

A boa notícia é que ele pretende lançar novos volumes, que vão dar ênfase à outras vertentes… Sigamos na torcida!

Sobre o autor

Os Sons da Memória - Uma Leitura Crítica de 40 Discos que marcaram época na Música do Espírito Santo
Jose Roberto Santos Neves. Foto: Daniella Spadeto

Natural de Vitória, o jornalista, escritor, pesquisador de MPB e gestor cultural José Roberto Santos Neves atuou durante 20 anos na cobertura musical do jornal A Gazeta, tem dois CDs gravados e cinco livros publicados na área da música:  “Maysa” (2005), a primeira biografia da cantora Maysa; “A MPB de Conversa em Conversa – 40 Entrevistas com Grandes Nomes da Música Popular Brasileira” (2007); “Rockrise – A História de uma Geração que fez Barulho no Espírito Santo” (2012); “Crônicas Musicais e Recortes de Jornal” (2015); e “O Pop que fez História por essas Bandas – Arranjos para Orquestra de Violões” (textos e pesquisa – FAMES, 2020); além de diversas participações em antologias e coletâneas.

O autor é membro da Academia Espírito-Santense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo. Em função de sua contribuição para a historiografia da música popular brasileira, desde 2017 foi incluído como verbete no Dicionário Cravo Albin da MPB.

 

Serviço

Lançamento do livro “Os Sons da Memória – Uma Leitura Crítica de 40 Discos que marcaram época na Música do Espírito Santo”, de José Roberto Santos Neves, acompanhado de palestra do autor.

Quando: 05 de outubro (terça-feira) às 19h

Local: Auditório do Titanic (Centro de Capacitação e Complementação), na Praça Duque de Caxias, s/n, centro de Vila Velha

Participação musical: Carlos Bona e Elaine Vieira

Transmissão online pelo YouTube da Editora Cândida

Obra realizada com recursos do FunCultura da Secretaria de Estado da Cultura

Apoio institucional: Prefeitura Municipal de Vila Velha

Entrada franca (público limitado, em consonância com os protocolos de prevenção à Covid-19)

Preço do exemplar no lançamento: R$ 45,00

Vendas online pelo site https://loja.editoracandida.com.br

Quer saber mais? 

No dia 14 de outubro (quinta-feira) às 19h, vamos estreitar nossa  “TV Contexto” com uma entrevista ao vivo pelo Instagram do Portal Contexto.  Eu ( Raquel Paternostro) e a jornalista Gisela Garcia vamos conversar com José Roberto Santos Neves sobre este e outros trabalhos desenvolvidos pelo autor. Não perca, e participe!

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?