fbpx

Ministério da Saúde age para aliviar a crise em Manaus

Imagem do Hospital Universitário Getúlio Vargas em Manaus. Foto: divulgação


A falta de oxigênio em Manaus foi o grande tema do dia de ontem. Pelas redes sociais se viu manifestação de artistas em busca de doações, e o repúdio e as explicações do governo federal

Manaus já está convivendo com a nova variante do coronavírus, que apresenta um potencial maior de contaminação. A capital amazonense vive uma crescente de casos da covid-19 e uma redução da capacidade hospitalar. Ontem, a situação se agravou. Médicos e parentes de pacientes usaram as redes sociais para fazer um alerta: o oxigênio acabou nos hospitais.

A reação imediata foi sentida no meio digital. Políticos, em especial, os opositores ao governo de Jair Bolsonaro protestaram contra a situação caótica em Manaus. Marcelo Freixo, deputado federal do Rio de Janeiro (RJ) pelo PSOL, disse que está acionando o Ministério Público Federal e a Procuradoria Geral da União para investigar a responsabilidade do Ministério da Saúde.

Os políticos do lado do governo, como a deputada federal de São Paulo, Carla Zambeli, culparam a gestão do governo do Amazonas e a prefeitura de Manaus pela falta dos insumos na rede hospitalar pública.

Durante a já tradicional live semanal do presidente, Jair Bolsonaro destacou que o estado recebeu da União verba e houve um erro de protocolo, o tratamento precoce da Covid-19, que não tem comprovação científica, deveria ter sido realizado. O ministro Eduardo Pazuello, presente na transmissão ao vivo, disse ainda que o problema de Manaus seria logístico, isto porque a cidade fica muito distante, e a dificuldade de acesso para receber insumos poderia ser a responsável pela atual situação de crise.

O que diz o Ministério da Saúde?

Em nota nesta sexta-feira, o Ministério da Saúde informa que aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e de outras companhias aéreas estão sendo mobilizados para levar cilindros de oxigênio líquido e gasoso para o Amazonas.

“Estamos trabalhando intensivamente na logística e parcerias para, em menor tempo possível, e com mais efetividade, sanar a crise sanitária pela qual passa o estado do Amazonas. Não estamos medindo esforços”, afirmou o ministro Eduardo Pazuello. 

Ainda de acordo com a pasta, com o apoio do Ministério da Defesa, o estado do Amazonas recebeu nesta semana 5 mil metros cúbicos de oxigênio líquido para auxiliar no combate à Covid-19 na região.

Além disso, foram entregues equipamentos de proteção individual, entre eles 125 mil máscaras N95, 247,8 mil máscaras cirúrgicas e 200 mil luvas. A pasta enviou ao estado de 180 monitores, 373 bombas de infusão, 6.900 equipos e 78 ventiladores pulmonares (40 exclusivos para o interior do estado). Ainda para o estado, foram destinadas 250 mil cápsulas de oseltamivir, 700 cilindros de oxigênio, além de 40,5 mil unidades de medicamentos para intubação. 

Solidariedade

Whindersson Nunes, Bruno Galliasso, Luan Santanta, Tatá Wenerck são alguns dos artistas que se mobilizaram para doar cilindros de oxigênio e realizar a entrega em Manaus.

Pelo Twitter, Whindersson disse que: “Eu tenho um carinho especial por Manaus pq foi uma das primeiras cidades a me dar moral como artista, nunca me esqueço, me ajudou a ser o artista q eu sou hoje, mtas doações no pix pra materiais hospitalares, e temos um valor de 150 cilindros de 50L, amanhã atualizo pra vcs!”

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?