fbpx

Dono da melhor marca do mundo, Thiago Paulino quer ouro em Tóquio

paulino
Thiago Paulino é mais uma esperança de medalha em Tóquio. Foto: Takuma Matsushita/CPB.

Thiago Paulino compete no Estádio Olímpico nesta sexta-feira (3), na prova do arremesso de peso, classe F57

Um dos principais nomes do atletismo paralímpico brasileiro, o paulista Thiago Paulino, atleta do Time Ajinomoto, tenta ampliar sua incrível coleção de medalhas conquistadas nos últimos anos, desta vez nos Jogos de Tóquio. Nesta sexta-feira (3), ele participará da prova do arremesso de peso, classe F57, para atletas que competem em cadeira de rodas (sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações). A competição começará às 7h10 (horário de Brasília), no Estádio Olímpico de Tóquio.

Com 35 anos e natural de Orlândia (SP), Thiago Paulino vem colecionando vitórias no ciclo até os Jogos. Ele já foi duas vezes campeão mundial (Londres 2017 e Dubai 2019), além da medalha de ouro nos Jogos Parapan-Americanos de Lima, em 2019, quando bateu o recorde mundial da prova, com a marca de 15,26 metros.

Com a proximidade da estreia, ele admite um pouco de ansiedade. “Isso é normal e natural, geralmente em todas as provas, quando o grande dia se aproxima, vem aquele frio na barriga, não tem jeito, não é exclusividade da Paralimpíada. Tenho procurado focar na preparação diária e uma das coisas que tenho feito é concentrar exclusivamente na prova, mentalizar o que vou fazer e como vou fazer. Dessa vez achei melhor até mesmo dar um tempo de WhatsApp e redes sociais”, afirmou Thiago Paulino.

Após realizar seu último treinamento para a prova nesta quarta-feira (1º), o atleta do Time Ajinomoto está procurando relaxar e curtir um pouco o clima da Vila Paralímpica, mesmo com os protocolos de saúde para prevenção da Covid-19. “O momento ainda é muito delicado, mas a experiência de conviver com várias culturas, mesmo que mantendo os protocolos, é indescritível. O espírito dos Jogos é totalmente diferente de tudo e a impressão que dá é que esse clima fica no ar. Se Deus quiser quero estar em Paris, em 2024, para desfrutar disso em sua plenitude”, disse o atleta brasileiro.

Em 2010, Thiago Paulino teve parte da perna esquerda amputada após um acidente de moto, quando estava a caminho da empresa em que trabalhava como vigilante. No ano seguinte, começou a praticar atletismo após ser convidado por um amigo, professor de educação física, que treinava arremesso de peso e lançamento de disco.

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?