Dia Nacional da Saúde: a vez das health techs no Brasil

O Dia Nacional da Saúde, celebrado hoje, 5 de agosto, surgiu para homenagear o médico Oswaldo Cruz. Em meio a pandemia, as soluções das health techs ganham ainda mais espaço

No fim de fevereiro o primeiro caso de coronavírus foi confirmado no país. De lá para cá, a saúde no Brasil está evidência. Hoje (5), o Dia Nacional da Saúde acontece em meio a pandemia que expôs problemas, mas também abriu espaço para soluções inovadoras.

A pesquisa, o conhecimento científico e a inovação são os melhores aliados contra o coronavírus. O fortalecimento destas áreas pode ser visto e sentido com a atuação das health techs e de outras startups também. As soluções já são uma realidade e são muitas. Aplicativos de gestão hospitalar, plataformas de telemedicina, a implementação da exames e testes mais acessíveis para as pessoas.

“As startups da saúde vêm acompanhando o mercado se abrindo para suas soluções e inovações, há algum tempo. 2020 pode ser, ainda mais agora, o ano das health techs, assim como tivemos o boom das fintechs. Mas, elas não podem se acomodar e acreditar que apenas o cenário promissor vai impulsionar sua escalada da mesma forma como vinha acontecendo antes da pandemia”, afirma Bruno Grillo Castello, da Bcast Consultoria, empresa voltada para o desenvolvimento das startups da área de saúde.

Soluções inovadoras

Teste rápido para covid-19

A Aptah BioSciences, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Emprapii) desenvolveram um teste rápido para identificar o Sars-CoV-2. Como o teste é feito a partir da coleta da saliva, as pessoas não precisariam sair de casa para realizá-lo.

Produtos antivirais

A BeCauz trouxe ao mercado nacional a primeira roupa com efeito viral permanente. Depois de lançar o Kit Hope Fashion, com máscara facial e camiseta, a marca já tem no catálogo outros itens como luvas, camisa polo, camiseta antiviral com gorro infantil.

Selecionado pelo Pandemic Challenge da Singularity University, o spray desenvolvido pela Visto.Bio promete ser eficaz contra o coronavírus. De acordo com a empresa, a solução pode ser borrifada no corpo e nas roupas, para evitar a frequente lavagem. 

O álcool em gel virou item essencial e por isso, a VidaBR criou uma pulseira para que as pessoas não se esqueçam mais do item ao sair de casa.

Teleatendimento

Atuando desde 2017, a Conexa Saúde implementa serviços de saúde a distância. Seguindo protocolos médicos e de segurança da informação, a healthtec aproxima pacientes a médicos de diversas especialidades, como clínica geral, ortopedia e oftalmologia.   

Já a PlenaVi ofecere atendimento psicológico online que conecta profissionais da psicologia a pacientes, além de oferecer produtos de apoio também para empresas e seus colaboradores.

Softwares de Gestão

A InnoveCare desenvolveu um software para clinicas oncologicas, hospitais e seguradoras e operadoras. A health tech também desenvolveu um aplicativo para dispositivos móveis para que pacientes em tratamento oncológico possam informar à sua clínica e ao seu médico sintomas que estão sentido após passarem por uma sessão de quimioterapia ou radioterapia. Eles podem ser orientados à distância em busca de bem-estar e reduzir as visitas à clínica ou a um serviço de pronto atendimento. 

Serviços de Saúde

A Suprevida é uma plataforma que conecta pacientes, profissionais de saúde e fornecedores de produtos de saúde. Pelo site, o consumidor pode encontrar os mais diversos produtos, como aparelhos profissionais até curativos.

Pós-Covid

Além das health techs, existe uma outra mudança esperada para o setor de saúde. Segundo a professora da IBE Conveniada FGV e especialista em carreira e gestão de pessoas, Patricia Pousa, para o pós-covid-19, o perfil desse setor deve mudar, com ênfase aplicada à chamada Atenção Primária à Saúde (APS).

“O modelo de atendimento já está sendo modificado, pois muitas pessoas estão e devem ficar com medo de irem ao hospital, por isso, a APS deverá ser reforçada. Nela, os profissionais trabalham com promoção à saúde e prevenção à doença, fazendo com que as pessoas se conscientizem sobre a importância desses cuidados”, comenta a professora.

Ela explica que nesse modelo de atuação, a atenção dos profissionais acontece para além do momento em que o paciente esteja no hospital. “Como exemplo, podemos citar um paciente que irá fazer uma cirurgia no joelho. Além de pensar nos cuidados na hora da operação para que ele sobreviva, a qualidade de vida pós-procedimento receberá atenção redobrada, almejando que ele fique curado, que ele consiga dançar, andar de bicicleta, correr, se exercitar e aproveitar a vida com muita saúde”.

Um ponto de mudança será: a experiência do paciente centrada na expectativa junto aos colaboradores.. “Agregar valor ao tratamento do paciente fazendo um bom atendimento, com custo financeiro menor, mas com um desfecho mais positivo será primordial. Nessa experiência, além de ser curado, o paciente receberá um atendimento que promova a qualidade de vida, onde ele será engajado e ativado para um bom resultado do tratamento. Com esse modelo de atuação, todos os players sairão ganhando”, reforça Patricia Pousa.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?