fbpx

Dezembro Laranja alerta para prevenção contra o câncer de pele

Créditos: Fernando Frazão/Agência Brasil

Instituto Nacional do Câncer registra 185 mil casos da doença por ano

O início da temporada do verão no país é convidativo para as pessoas apreciarem o sol, infelizmente, esta atividade atrai uma série de riscos que podem comprometer diretamente a saúde e trazer doenças como o câncer de pele. A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) se une este ano a instituições públicas e privadas para realizar a edição deste ano da campanha “Dezembro Laranja”, que ensina formas de prevenção, fatores de risco e tratamentos disponíveis.

O Câncer de Pele se caracteriza como um tumor de pele maligno, que é ocasionado pelo crescimento anormal e descontrolado das células da pele. “A radiação ultravioleta é a principal responsável pelo desenvolvimento de tumores cutâneos, e a maioria dos casos está associada à exposição excessiva ao sol ou ao uso de câmaras de bronzeamento. A melhor forma de reduzir o risco de desenvolver a doença é reduzir a exposição solar e fazer uso de protetor solar diariamente. “Dessa forma, o sol não vira um vilão, e sim um grande aliado“, explica o médico dermatologista Erasmo Tokarski.

O profissional explica que o efeito do sol é cumulativo, respeitar os horário antes das 10h e após as 15h é a melhor opção para aproveitar as vantagens da exposição.

Diagnóstico

Foto: Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

Pintas e irritações semelhantes a alergias, devem ser observadas. Dr. Erasmo disse que é fundamental conhecer a própria pele, para assim as pessoas ficarem cientes sobre qualquer mancha que possa ter aparecido. O especialista lembra que somente o exame clínico ou a biópsia podem diagnosticar o câncer de pele. “Utilizamos um dermatoscópio, que é uma lente de aumento especial com fonte de luz própria para observar a lesão, e, se houver indicação realizamos a biópsia da pele”, explica o Erasmo Tokarski.

Arte: Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

Para ele, o Dezembro Laranja serve como um lembre para mostrar a importância de estar sempre atento a lesões na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente; pinta preta ou castanha que muda de cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce; e manchas ou feridas que não cicatrizam, continuam a crescer e causam coceira, crostas, erosões ou sangramentos.

Tipos de câncer de pele

Existem três tipos de cânceres de pele mais comuns: Segundo o dermatologista existem três tipos de cânceres de pele: o carcinoma basocelular, mais frequente e com alto percentual de cura; o carcinoma espinocelular, de incidência média; e o melanoma, o tipo mais grave e mais raro.

A coordenadora do Departamento de Oncologia Cutânea da SBD, Dra. Jade Cury Martins explicou a importância de examinar manchas em familiares e conhecidos:  “muitas vezes os  cânceres podem aparecer em regiões em que não é possível reconhecer sozinho. Além disso, sempre que for  necessário se expor ao sol, não esqueça de proteger as áreas descobertas do corpo, mesmo em dias frios e nublados” ressaltou.

  

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?