Cuidado! Você pode estar com sintomas [Contexto Livre]

Sabe o cansaço extra que você tá sentindo?
A falta de individualidade?
Ter que rebolar para conciliar família, afazeres domésticos e trabalho?
O stress da reunião que não dá pra ser feita direito porque sempre tem alguém te interrompendo?
A sensação de “nunca ter acabado” porque você termina o trabalho de fora para começar o de dentro?
Sabe as noites que estão mal dormidas pela ansiedade?
A preocupação que você tem que ter em relação à saúde de quem o cerca?
Pois é, são sintomas de mãe.

Estamos abdicando do nosso lazer.
alguns, da carreira.
Quem mora em apartamento, abdica da natureza
Quem mora em casa, doa seu tempo aos infinitos afazeres domésticos.
Há uma pandemia no mundo, mas nunca refletimos sobre algo que já existe na humanidade há muito tempo.

A mãedemia.

A quarentena poderia ter um sinônimo, “vida de mãe”.
Abdicar, pensar constantemente no próximo e a exaustão são sintomas de uma “vida de mãe”.
Mas para você começar a ser uma, não basta sentir isso, você precisa ter o olhar.
É impressionante como, apesar de todos esses sintomas, as mães ainda dizem constantemente:
“foi a melhor coisa que já me aconteceu”.
Elas conseguem ter “o olhar”.
Porque, convenhamos, COMO SENTIR ISSO PODE SER A MELHOR COISA QUE NOS ACONTECEU?
Mas pra elas é.
Elas costumam soltar um sorriso quando nós, filhos, sorrimos.
Quando nós, filhos, reconhecemos.
Quando nós, filhos, olhamos de volta pra elas.

Talvez a epidemia esteja sendo um recado “tentem ser mais como elas”.
Fiquem estressados, exaustos, cansados, chateados, mas entendam o valor ao olhar pro próximo.
Eu, particularmente, ainda não consigo ter o olhar que elas têm.
Tem sido uma busca constante me melhorar pra ter o olhar.
Penso se isso não é mais um sintoma da mãedemia.
Querer se melhorar constantemente para conseguir lidar com tudo.
É.
Deve ser….

Enquanto todos aguardam, ansiosamente, o fim da epidemia.
Fico pensando se algum dia existirá o fim da “mãedemia” pra elas.
Penso se elas gostariam que a mãedemia cessasse.

Ainda não achamos a cura pra pandemia, muito menos pra mãedemia.
Mas para a mãedemia já existem remédios que fazem com que elas se revigorem.
Infelizmente (ou felizmente) ainda não achamos nas farmácias.
Nem online.
Calma! É melhor. Não tem nenhuma chance de você pegar o Corona.
Você consegue fazer em casa, “homemade” mesmo.
Ou então através do celular.
O freguês escolhe.
É parar, parar mesmo, olhar no fundo do olho delas e dizer:
“obrigado por ter aberto mão de tantas coisas por mim e por nós, mesmo! te amo muito, mãe”.

Uma homenagem especial à todas as mães!
Especialmente à minha, Maryane.
Te amo, muito, mãe.

Beatriz Venâncio  é arquiteta e empresária. Proprietária da Tune Arquitetura, sócia da MELB, sócia local da ArchademyDF e apaixonada por palavras.

 

Contexto Livre é uma coluna rotativa, de assuntos diversos escrita por pessoas bacanas que tenham algo legal e inspirador pra compartilhar.

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?