Visual Mershandising, como o espaço te ajuda a vender mais [Arquitetura]

 

Tune Arquitetura explica a importância do espaço físico para aumentar a venda do seu empreendimento

 

Quando fazemos uma esfera residencial, o cliente é quem deve sentir todas as sensações que ele espera. Já quando criamos uma esfera comercial, o nosso público alvo deve ser teletransportado para uma outra atmosfera! Toda marca quer passar uma sensação ao seu cliente, “A Cara do Pai”, por exemplo, é uma loja de roupas e calçados infantis forte aqui em Brasília, quando indagamos qual era o maior problema da loja deles, responderam que era “tão infantil” que a criança que já estava começando a ficar pré adolescente não conseguia mais se conectar com a loja. A conexão com o seu público alvo é a parte mais importante, e o cenário que é criado para gerar isso é extremamente relevante!

#1 Comunicação:

Onde seu cliente se sentiria mais à vontade? Seu cliente é mais sensorial? Mais sofisticado? Ele é descolado? Caso ele seja mais sensorial, colocar texturas relacionadas à natureza é extremamente importante: madeira, uma parede com vegetação, cores claras devem fazer com que ele se sinta bem! Em contrapartida, se ele for sofisticado, espelho, cores neutras, madeira mais escura e revestimentos que imitam mármore tendem à fazê-lo se sentir impactado!

Se ele já tiver um perfil descolado, cores que contrastam, pinturas e um layout livre chama a sua atenção! Você deve avaliar, também, se faz sentido você fazê-lo se sentir em um outro lugar! Quando fizemos a Guerreiro, por exemplo, a intenção foi destacar  os produtos! O espaço deveria ser sofisticado e neutro, onde a peça principal seria o que estivesse exposto. Em contrapartida, quando fizemos a loja Jessyka Monteiro, o cenário “girly” foi essencial para fazer com que o seu público feminino sentisse total empatia e se soltasse!

#2 Exposição

O efeito da iluminação pode e deve guiar o olhar do seu cliente! O cliente deve andar na sua loja como se uma história estivesse sendo contada à ele! Primeiro ele deve se impressionar com algo, no segundo momento, ele deve ter como intenção provar o produto e, por último, pagar! Uma outra estrutura que deve estar incorporada à sua arquitetura é a MODULAÇÃO. Deve haver uma grelha para que você possa usar um mesmo produto arquitetônico com versatilidade e estimular a curiosidade do seu cliente.

 

 

#3 Estrutura

Quando fizemos uma consultoria para os quiosques da Art Foleados, pontuamos que, por mais que só pudéssemos usar o espaço até uma altura de 120 do chão (norma dos Shoppings), ainda assim precisaríamos trazer a sensação que o quiosque, como um todo, estaria ressaltando do chão! Produtos no chão dão a ideia de produtos desvalorizados. Já para quem quer explorar a vitrine em uma estrutura diferente, é legal ressaltar que espaços instagramáveis ajudam! Pode-se otimizar esse espaço ao colocar uma vitrine dentro da loja explorando a vontade do consumidor fotografar essa área.

Para quem tem loja também é importante pontuar que o ar condicionado nunca deve estar voltado para lugares de permanência do cliente, provador ou bancada de mostruário, por exemplo. A altura dos apoios dos vendedores, gavetas de estoque, deve permitir que o cliente mantenha o contato visual com o quem está vendendo o produto pelo maior tempo possível. Se você vai trabalhar com mostruários de vidro, esqueça iluminação de destaque vindo do forro, a luz deve vir do local, senão estoura. E cuidado, espelho em todos os lugares podem distrair o consumidor.

 

Seguindo esses três pontos à risca, é impossível não passar uma experiência sensorial considerável para o seu consumidor! Esperamos que tenham gostado!

 

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?