Wakanda forever

Olá, leitora. Olá, leitor. Como vai você?

Sei que tem tempo que não escrevo neste espaço, mas a indignação acabou me silenciando. Indignação do quê? A política anda tão confusa e o cotidiano cheio de acontecimentos delicados… Bom, tudo isso fez como que eu optasse por um breve retiro.

Mas por que escrever agora então? Porque silêncio nem sempre é a melhor escolha. Este é um espaço de diálogo e de provocações para vários temas. Aqui o Território é Múltiplo. 

Aqui não há respostas definitivas, pois tudo (não exatamente tudo) está em constante transformação. Quero apenas compartilhar a minha visão e incentivar você, aí do outro lado da tela, a pensar e avaliar o que está sendo dito. 

Não quero convencer e nem doutrinar ninguém. Quero que você discorde, não há problema nisto. Dizem que na democracia funciona assim. Cada indivíduo tem o direito de acreditar no que faz mais sentido e tudo bem. Não precisamos brigar e nem ofender ninguém. Combinado?

Vamos aos temas que quero conversar com você nesta semana.

Política Brasileira

Queria saber uma coisa, afinal, teremos uma nova temporada do “Mecanismo”. Depois que eu vi a série, eu vejo as notícias e penso: é real ou ficção?

Estamos vivendo um momento muito delicado da nossa política. O presidente está claramente preocupado com a reeleição. O Renda Brasil, a Casa Verde Amarela e o Auxílio Emergencial são instrumentos para convencer a população em 2022. Mas e o custo disso?

Parece que falta alguém que governe esta nação.

Por conta do Renda Brasil, podemos perder a Farmácia Popular. Vou dizer apenas isso e dar uma pausa. 

Você já comprou remédio com desconto por conta deste programa? Conhece alguém que toma 15 remédios por dia e só consegue manter os tratamentos por conta disto? O conta para o brasileiro vai ser muito alta se o programa for terminado. 

Fritos e Assados

A estratégia de fritura segue. Dizem por aí que o próximo é o Paulo Guedes. Gostaria de recomendar um vídeo. Assista à entrevista de Gustavo Bebianno no Roda Viva. Na ocasião, ex-ministro afirmou que existem dois governos, um do presidente, que ele, Bebianno, diz que não governa – só faz campanha – , e o governo do Guedes. E se o Guedes sair? Ficaremos em barco à deriva?

Coronavírus

E a pandemia? Acabou, certo? Pelo que eu vejo parece que não há mais coronavírus nas ruas. No entanto, o país segue com o ministro interino na saúde e os números seguem crescendo. Ah, peraí, tem região que está reduzindo, eu vi, mas quantas pessoas se foram e quantas terão sequelas da infecção? Desculpe, mas não consigo ser otimista e a minha indignação se faz presente toda vez que eu vejo os números da pandemia e as atitudes dos governantes.

600 dias

O governo passou a marca dos 600 dias e a análise que fizemos aqui no Contexto sobre os 500 dias ainda (em parte)  é válida. Mas em maio falávamos do tal vídeo da reunião ministerial e a palavra impeachment era dita algumas vezes. O vídeo foi divulgado, causou indignação mas também ouvimos um: tá, era isso? Nada demais, hein. 

O Congresso já está mais alinhado com o Governo, que conseguiu acalmar alguns ânimos e construir novas pontes com o centrão. Assim, o impeachment fica apenas nas mentes e na vontade da oposição. 

2022

Mas o presidente segue com declarações polêmicas, bater em jornalista, e o Queiroz? Pois é.. Eu vejo que apesar de tudo isto, a oposição segue fragmentada e sem muito poder de ação. Sem uma unidade ficará difícil vencer Jair Bolsonaro em 2022. 

Mas falaremos na próxima semana sobre isto. Nesta semana ainda tenho outros assuntos para tratar com você.

Eleições americanas

Pandemia e protestos – e outras questões – este é o contexto das eleições americanas. Donald Trump prometeu uma vacina, prometeu fazer a América grande outra vez. E agora em campanha, ele promove o medo e ainda diz que os democratas são comunistas. 

Protesto! 

Será que demora muito para que o mundo entenda somos todos iguais e cor, gênero, orientação sexual não determina nada? 

Os americanos estão gritando Vidas Negras Importam desde maio por conta da morte de George Floyd. Poucos meses depois, uma nova ação policial exagerada e sem explicação plausível. A vítima foi Jacob Blake, ele foi baleado várias vezes nas costas e em frente aos filhos.

Kamala Harris, candidata à vice-presidente na chapa de Joe Biden, disse durante discurso que “não há vacina para o racismo”. Para curar o racismo é preciso muito mais e não podemos achar que ah.. Problema dos americanos. Não, o ser humano é o mesmo, nos EUA, na Europa ou no Brasil. Todos nós carregamos defeitos parecidos, mas também carregamos a solução dentro de cada um de nós.

Esperança

Por mais que o mundo pareça estar ao contrário, temos boas notícias, pois o ser humano é feito de esperança e todos nós temos um lado bom. Semana passada, trouxemos aqui no Contexto, a pesquisa da USP para um novo tratamento para a covid-19, seguimos de olho nos avanços científicos das vacinas. Também temos inovações para nos proteger e muitas pessoas seguem ajudando o próximo.

O “bom” pode ser maioria, só precisamos ser menos tímidos, se lembrem disso sempre, combinado?

Para encerrar, queria deixar um pequeno registro em homenagem ao Chadwick Boseman. O ator fez papéis marcantes no cinema. Ele contou a história do primeiro juiz negro americano, do grande James Brown e o primeiro herói negro, Pantera Negra.

A arte de Boseman empoderou e deu visibilidade para tantas pessoas. Afinal, pessoas que não se viam nas telas e no mundo irreal do cinema, passaram a ter um representante. E ele também tirou a cegueira de muitos, em especial, aqueles que não viam as pessoas negras no mundo real.

Obrigada, Boseman!

Wakanda forever e até próxima!

Ler esta notícia me deixou:
shares
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?