fbpx

Tembici chega a Brasília no dia 11 de outubro

 

tembici
Tembici chega a Brasília em breve e GDF promete ampliar a malha cicloviária. Foto: divulgação

O DF conta com uma das maiores malhas cicloviárias do país e o brasiliense já estava com saudade do compartilhamento de bikes na capital

O brasiliense vai voltar a usufruir das bikes compartilhadas no Distrito Federal. A partir de 11 de outubro, a Tembici, empresa de micromobilidade presente na América Latina, chega a Brasília e oferecerá 70 estações e 500 bikes. 

A malha cicloviária do Distrito Federal apresenta números expressivos, são 586,5 quilômetros de estrutura, e como a região é predominantemente plana, a bicicleta caiu no gosto do brasiliense não apenas como lazer, mas também como meio de transporte.

“Para a chegada no DF, estamos investindo R$ 10 milhões que garantem uma excelente forma de transporte e mobilidade ativa para a população. Nossa tecnologia proporciona a experiência de pedalar os mesmos modelos de  bicicletas que circulam em Nova Iorque, Londres, Chicago, Dubai e Barcelona. São bicicletas robustas desenvolvidas, especificamente, para sistemas de compartilhamento e isso influencia diretamente na segurança e conforto do ciclista.  Vale destacar que a liberação de bikes poderá ser feita por QR Code, que além de facilitar as retiradas, ainda contribuem com as normas de higienização pessoal durante a pandemia”, comenta Tomás Martins, CEO e co-fundador da Tembici.

O executivo ainda complementa sobre a importância do sistema para o meio ambiente. “Os impactos das bikes compartilhadas para o planeta são gigantescos. Somente em 2020, por exemplo, registramos uma economia de 4 mil toneladas de CO2 com pedaladas, que se fossem emitidas, demandariam o plantio de aproximadamente 30 mil árvores. Estamos focados em  alinhar nossa governança ainda mais com a agenda ESG que inclui projetos como o Doe 1 Viagem, que beneficia pessoas em situação de vulnerabilidade social da CUFA – Central Única de Favelas e outras organizações não governamentais, o Vem Vacina Vai de Bike, iFood Pedal para entregadores, além dos compromissos de colocar cada vez mais bikes nas ruas”, diz Martins. 

O acordo com o GDF foi assinado em maio deste ano e prevê que as bicicletas deverão estar disponíveis nos locais com maior demanda, com a intenção de integrar os deslocamentos de quem usa o transporte coletivo também. As estações, segundo o contrato, deverão funcionar 24 horas por dia. 

Os usuários poderão realizar a contratação do serviço via aplicativo.  O tempo de uso depende do plano, podendo ser de 30 minutos a duas horas. Neste primeiro momento, as bikes poderão ser encontradas no Plano Piloto, Asas Sul e Norte, Universidade de Brasília e Sudoeste.

A malha viária de ciclovias deve aumentar em breve, o GDF promete abrir nova licitação, ainda em 2021, para a construção de 130 quilômetros de novas pistas. A intenção é ampliar e integrar as ciclovias existentes no DF. 

“Dentro desse projeto enxergamos a necessidade de integrar as ciclovias existentes. Temos diversos projetos para as Regiões Administrativas, inclusive construir 30 quilômetros de ciclovias em Samambaia. Vamos ampliar toda a malha viária do DF”, explica o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro.

*Com informações adicionais da Agência Brasília

Ler esta notícia me deixou:
Open chat
Olá,
Agradecemos o seu contato! Como podemos te ajudar?